CliP Mulher

Entre francos e atiradores

Confira a reflexão da Coluna da CLiP Mulher desta semana

20 de maio de 2022

Foto: Envato Elements

Há uma linha tênue entre a sinceridade e a grosseria. Assim acontece com a vida e a morte de pessoas ou amizades. Saber até onde a verdade deve ser revelada é certamente o segredo do sucesso nos relacionamentos. Isso não quer dizer que uma pessoa deva omitir todas as verdades. Não! A verdade sempre deve prevalecer, mas com elegância.

continua após a publicidade

Algumas pessoas confundem franqueza com total indelicadeza e falta de tato. Pior! Não percebem que isso nada mais é do que grosseria gratuita. Autenticidade não representa viver em guerra armada apontando verdades e mirando a sangue frio aquelas que todos sabem ou deveriam ao menos imaginar que deixarão feridos pelo caminho.

Vivemos um momento conflituoso no qual as pessoas precocemente vivem vidas duplas, a vida real e a vida virtual, aquela em que facilmente é possível chegar à perfeição. Nessa perspectiva, viver em um mundo de fantasia é praticamente um estado letárgico que segue e nos acompanha diariamente e por todos os momentos em que estamos ligados através das redes sociais.

continua após a publicidade

Hiper conectados não conseguimos desvencilhar aqueles que somos com aqueles que gostaríamos de ser para nós e para as pessoas que interagem conosco.

Não há surpresa alguma que muitas vezes conseguimos nos relacionar muito melhor através das telinhas do que ao vivo e a cores. Claro! Atrás das telinhas somos todos perfeitos e não há muito o que se dizer: ou você gosta ou você não gosta. Não há meio termo. Se gosta, curte e segue. Se não gosta, desfaz amizade e passa reto. Com isso, estamos perdendo nossa capacidade de mediação de conflitos. Empatia então passa longe.

Pois é, entre francos e atiradores existe um abismo gigantesco e é possível ficar tonto quando se tenta achar o fundo.

Espere que alguém lhe pergunte sobre a sua opinião e ao responder, procure levar a pessoa à resposta, mas não a dê diretamente. Faça com que ela mesma pense sobre o assunto e chegue na verdade que tanto espera ouvir. Assim, evitam-se mortos e feridos pelo caminho.

Quem não se importa em enterrar amizades tem problemas em conviver com as pessoas e realmente deve ficar somente atrás de telinhas.

Ao nosso lado, devemos apenas ter pessoas que nos fazem sentir vivos e essa é uma grande verdade.

Notícias relacionadas

Mais Lidas

Publicidade