CliP Mulher

Coluna da CLiP: Ubuntu

“Ubuntu”, que traz ao termo uma ideia associada de que “a existência de um é conectada com a do outro”

2 de dezembro de 2022

Foto: Envato Elements

Retratar a sociedade através de narrativas ou mesmo realizar denúncias sociais, conexões com o passado e com a história sempre foram meios utilizados pelos escritores para despertar o público leitor para alguma situação considerada importante.

Muitas vezes essas informações são distribuídas ao longo da história e acontecem também para apontar caminhos possíveis para o futuro. Isso tudo ocorre naturalmente durante a composição dos cenários e torna-se perceptível e proposital causar familiaridade para o leitor.

É através das muitas conexões entre a ficção e a realidade que o livro chamará a atenção para algumas daquelas situações que necessitam serem melhor compreendidas.

Essa noção de utilidade, que é percebida em muitos momentos em um livro, é notada principalmente quando o futuro se anuncia tal e qual narrado em alguma obra ou quando é através de uma história que se consegue compreender a razão de determinada situação e até mesmo quando o leitor sente-se mergulhado dentro das páginas de um livro como se dele estivesse fazendo parte ou totalmente preso dentro de sua atmosfera. Isso faz do livro também um grande portal de mundos e tempos paralelos!

É sob esse olhar que a literatura africana se faz tão importante trazendo à tona, reflexões sobre a história, desde relatos vergonhosos do passado e do presente como também proporciona a reflexão sobre temas fundamentais para a construção de uma sociedade melhor.

Compreender a existência do racismo estrutural e promover mudanças através de uma literatura antirracista é também uma grande contribuição da literatura africana e a forma de prenunciar um futuro mais igualitário, mais humano e empático, mas não só. Valorizar e disseminar a riqueza e a beleza cultural do povo afrodescendente é para a apreciação de todos uma dívida mundial a ser gratamente paga durante a leitura das histórias africanas cheias de boas surpresas filosóficas e sensoriais.

“Ubuntu”, que traz ao termo uma ideia associada de que “a existência de um é conectada com a do outro”, pode começar a transmutação ao se folhear uma obra dessa literatura.

Então, existe uma forte esperança de que o resultado dessa experiência seja ricamente transformador e útil à toda civilização.

Dessa forma, o que se espera é Ubuntu do início ao fim.

Notícias relacionadas