Mundo

Vídeo: Foguete chinês, que caiu no Oceano Índico, foi visto no céu de SC

A câmera de monitoramento de uma estação em Monte Castelo, no Norte do estado, registrou o objeto passando

9 de maio de 2021

Uma parte dos destroços do foguete chinês Longa Marcha CZ-5B caiu neste domingo, 09 de maio, no Oceano Índico, a oeste das Ilhas Maldivas. As informações são da agência argentina Telam. A queda da peça, de 30 metros de altura e 20 toneladas, foi confirmada pela Agência Espacial chinesa. 

continua após a publicidade

Antes disso, o foguete chinês foi visto no céu catarinense. A câmera de monitoramento de uma estação em Monte Castelo, no Norte do estado, registrou o objeto passando pouco após as 18h30min de sexta-feira, 07.

Segundo Marcelo Zurita, diretor técnico da Rede Brasileira de Monitoramento de Meteoros (Bramon), para o G1 Santa Catarina, o foguete foi observado entre quinta (6) e este sábado (8) também no Rio Grande do Sul, São Paulo e Minas Gerais, além de Santa Catarina.

continua após a publicidade

“De acordo com monitoramento e análise, às 10h24 (0224 GMT) de 9 de maio de 2021, o primeiro estágio do foguete 5B Longa Marcha voltou à atmosfera”, disse a agência espacial em comunicado.

De acordo com a agência, a maior parte do segmento se desintegrou ao entrar na atmosfera. Havia a expectativa de que o segmento do foguete pudesse cair em alguma parte habitada, causando prejuízos. As autoridades chinesas haviam afirmado que a queda do segmento do foguete representava pouco perigo. A queda também foi confirmada pelo Comando Espacial dos Estados Unidos, que disse que o segmento entrou na atmosfera pela Península Arábica aproximadamente às 22h15.  

“#USSPACECOM confirma que o chinês #LongMarch5B reentrou na Península Arábica aproximadamente às 10:15 pm EDT em 8 de maio. Não se sabe se os destroços impactaram a terra ou a água”, disse o perfil do comando no Twitter.

O foguete Longa Marcha CZ-5B tem, no total, 57 metros. Ele foi lançado em 29 de abril, com a missão de levar ao espaço o primeiro módulo da nova estação espacial da China. O seu compartimento de carga, na “ponta” do foguete, tem bem menos, cerca de 27 metros e 25 toneladas. O restante do foguete, se desprende do compartimento de carga assim que sua função no lançamento é cumprida. Após o desacoplamento, esses estágios podem voltar à órbita da Terra.

 

Na vídeo, é possível identificar o objeto como um ponto brilhante, se movendo no lado direiro da imagem. (Vídeo: Jocimar Justino)

Fontes: G1 SC, Agência Brasil e Agência Télam

Notícias relacionadas

Mais Lidas

Publicidade