Especiais

Uma volta no tempo, às raízes pomeranas

Grupo que viajou pela Europa, relata experiências na região da antiga Pomerânia, de onde vieram os imigrantes

18 de junho de 2022

Foto: Arquivo pessoal

Um retorno às raízes de cada família. Este foi o objetivo de um grupo de amigos de Pomerode, ao incluir em seu roteiro de viagem pela Europa, um tour pela região onde, antigamente, era localizada a Pomerânia, terra de origem de boa parte dos imigrantes que vieram para nossa cidade, no século XIX.

continua após a publicidade

Rafael Jandre, Janete Kressin Jandre, Carlos Germano Krahn, Lorena Engel Krahn, Miro Hennings, Anelia Wachholz Hennings, Ingvald Engel e Renilda Radünz Engel começaram a planejar a viagem em 2019 e escolheram o pacote em fevereiro de 2020. Um mês depois veio a pandemia e a viagem, programada para setembro daquele ano, precisou ser adiada, até maio deste ano, quando puderam viajar.

Segundo Rafael Jandre, a ideia inicial era fazer uma viagem de lazer, mas quando a data da viagem se aproximou, decidiram estender o roteiro para a região da antiga Pomerânia, que hoje é a Polônia.

continua após a publicidade

“Como eu gosto muito de pesquisar sobre as origens, sobre a nossa história, sugeri ficarmos mais alguns dias e conhecermos a região onde era a Pomerânia. Fizemos nosso roteiro programado, passando por Áustria, Itália, República Tcheca, Suíça, Eslovênia e Alemanha e terminamos em Berlim, onde alugamos um carro e fomos a Polônia, para as regiões de Stettin, Naugard, Belgard, nas cidades e vilas de cada um. Também passamos pela cidade de Greifswald, co-irmã de Pomerode”, relata Jandre.

O grupo destaca que o primeiro destino de roteiro pelas cidades pomeranas, foi Greifswald, que, atualmente, ainda pertence à Alemanha, onde foram muito bem recebidos, em uma bela cidade. O local tem a universidade onde estudou Fritz Müller e, curiosamente, o irmão de Müller era o pai da bisavó de um dos membros do grupo, Miro Hennings.

Segundo os viajantes, a região da antiga Pomerânia é bem diferente do que imaginavam, inicialmente, mas foi emocionante passar pela experiência. “Lá é muito plano, muito bonito, bem diferente, e até imaginamos o que os imigrantes passaram quando chegaram aqui, com todos os morros. A impressão que tivemos de alguns lugares foi que algumas regiões pararam no tempo. Os centros das cidades maiores são desenvolvidos, mas as vilas são muito rústicas”, relata Jandre.

O grupo buscou visitar os locais de origem das famílias dos membros da viagem, passando por por nove cidades/vilas, que são diretamente ligadas a antepassados do grupo, em três “distritos”: Naugard, Regenwalde, Belgard, que são próximos um do outro.

Um deles foi a vila de Battin, em Belgard, na Pomerânia. Atualmente a vila chama-se Batyn e pertence à Polônia. Nesta vila, no ano de 1860, Carl Engel, antepassado de Invald Engel. Outro local visitado foi a vila de Bernhagen, em Naugard na Pomerânia, hoje vila polonesa chamada Ostrzyca, local de origem da família Krahn, dos antepassados de Carlos Krahn.

A emoção fez parte da viagem, também ao passar por Groß Borckenhagen, em Regenwalde na Pomerânia. Hoje, a vila chama-se Borkowo Wielkie e fica em território polonês. Nesta vila, em 1864, nasceu e foi batizada Bertha Ernestine Wilhelmine Finner que se casou, em 1881, com Carl Kressin, aqui em Rio do Testo – Pomerode, na época Colônia Blumenau. O casal era avô do avô de Janete Kressin Jandre, e o nome de Bertha era sempre citado por Helmuth Kressin, segundo Janete.

“No início, eu até tinha minhas dúvidas sobre ir até a região da Pomerânia, mas quando fomos para Regenwalde, e visitamos a igreja onde minha trisavó foi batizada, foi emocionante. Meu avô falava muito dela e ver que aquele local ainda existe, mesmo tendo sido construída em 1698, estando bonita e bem cuidada, foi muito especial”, afirma Janete.

Miro Hennings, que também pode presenciar os locais em que seus antepassados estiveram. “Foi emocionante estar onde nossos antepassados estiveram, visitar as igrejas, ver estes locais”, disse.

Rafael Jandre também fala com emoção sobre a experiência de viajarem juntos e visitarem locais especiais, como a vila de Schoissin em Naugard na Pomerânia, terra dos tetravôs dele Johann Jandre e Ernestine Radü. E ainda visitou a vila atualmente chamada de Węgorza, antigamente em Naugard na Pomerânia. Nesta vila viveu a família Sell, sendo que em 1864 foi batizado o seu trisavô Franz Ludwig August Sell.

O grupo também passou por Kniephof, que era em Naugard na Pomerânia, terra dos antepassados de Renilda Radünz Engel, esposa de Invald Engel. “Foi muito bom poder visitar este local e matar a curiosidade de como está o local hoje”, disse Engel.

É consenso geral para o grupo que a região não é como imaginavam, mas afirmam que a experiência foi maravilhosa, e que não se arrependem de nada. Inclusive, já têm ideias de próximos roteiros e, enquanto puderem continuarão viajando e descobrindo mais sobre a nossa história.

Notícias relacionadas

Mais Lidas

Publicidade