Sexta-Feira, 25 de Junho de 2021

facebook_icon

Hoje: Máx 30Cº / Min 19°C

Siga a gente -

Jornal de Pomerode

Edição Impressa

icon_user

Chapecó anuncia suspensão das aulas presenciais e de serviços não essenciais

Bares, cinemas e igrejas também permanecem fechados até 22 de fevereiro

5cf6e817176c6d9ef1f957b8eca6f8c8.jpg Foto: Cristiano Estrela / Secom

As aulas presenciais estão suspensas em Chapecó, no Oeste de Santa Catarina, por tempo indeterminado, tanto nas escolas particulares, que já iniciaram o ano letivo, quanto na rede municipal e estadual, que iriam iniciar as atividades na próxima quinta-feira 18, segundo a prefeitura do município. A suspensão vale para todos os níveis de ensino, a partir de segunda-feira 15 , de acordo com decreto assinado pelo prefeito João Rodrigues.

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
https://jornaldepomerode.com.br/novo/midia/banners/banner_808x164/ffd61332a4e29290e4edbdc12b3cf4f1.png https://jornaldepomerode.com.br/novo/midia/banners/banner_808x164/d71818c47d981bb85097e8de3648507e.jpg https://jornaldepomerode.com.br/novo/midia/banners/banner_808x164/2edbf97c4ed2488011199c38854cd348.jpg

 

A decisão foi tomada após reunião do prefeito com os secretários e diretores. Foi avaliado que a medida seria necessária para ajudar a frear o contágio da Covid-19.

Foram suspensas também as atividades extracurriculares presenciais na rede pública e privada. De acordo com a secretária de Educação, Astrit Tozzo, as aulas da rede municipal iniciam no dia 18, mas de forma 100% “on line”.

 

Recomendações do Ministério Público

No entanto, para manter a suspensão das aulas presenciais em Chapecó, por conta do aumento de contaminações pelo novo coronavírus, o prefeito João Rodrigues (PSD) acatou as recomendações do MPSC (Ministério Público de Santa Catarina) e fechou bares, cinemas e igrejas até o dia 22 de fevereiro. 

A medida extrajudicial foi adotada durante o plantão pelo Promotor de Justiça, Eduardo Sens dos Santos, após conversa com o prefeito de Chapecó na manhã deste sábado, 13. Quem descumprir a regra está sujeito às penas da Lei Municipal 7.456, que prevê até o fechamento dos estabelecimentos e multas de até R$150 mil.

 

Fonte: Portal ND +