JP Saúde

Gordura no fígado: conheça a doença e previna-se

O diagnóstico acontece quando o paciente apresenta alta quantidade de lipídios (gordura) nas células do fígado.

26 de junho de 2022

Foto: Envato Elements

Você sabia que a gordura excessiva no fígado é um problema de saúde que afeta cerca de 25% da população mundial, incluindo adultos e crianças? Se não tratada adequadamente, a esteatose hepática não alcoólica (NASH, na sigla em inglês), pode evoluir para casos mais graves de fibrose hepática, cirrose e até mesmo câncer de fígado.

continua após a publicidade

Segundo o bioquímico do Laboratório Sandrini, Rodrigo Rodrigues, qualquer pessoa está suscetível a ter gordura no fígado e as principais causas são: obesidade, diabetes tipo 2, hipertensão arterial, colesterol alto, resistência à insulina, dislipidemia (excesso de gordura no sangue) e ter mais de 50 anos.

O diagnóstico acontece quando o paciente apresenta alta quantidade de lipídios (gordura) nas células do fígado. Ultrassom e exames simples de sangue são as formas mais utilizadas, além de outros exames e avaliações; a biópsia é indicada apenas para casos mais graves.

continua após a publicidade

A esteatose hepática não costuma apresentar sintomas no início, somente após danos sensíveis no fígado o paciente relata fadiga, mal-estar, aspecto amarelado na pele, dor no lado direito superior do abdômen, dor abdominal e enjoo.
Já em casos graves, podem ser observados sintomas como: pele e olhos amarelados, coceira na pele, inchaço na barriga, pernas e tornozelos, urina escura, confusão mental e hemorragia.

A gordura hepática é silenciosa, portanto, é prudente que você regularmente consulte seu médico para avaliar a situação do seu fígado — especialmente se você apresenta os fatores de risco mencionados acima.

A principal recomendação para evitar a gordura no fígado é adotar uma alimentação saudável, praticar atividades físicas e evitar ou moderar o consumo de bebidas alcoólicas. Confira mais dicas:

– Leia os rótulos nutricionais para encontrar gordura, açúcar e sódio ocultos;
– Tenha uma meta de comer cinco porções de frutas e legumes por dia;
– Coma alimentos ricos em fibras, incluindo grãos integrais;
– Use azeite extravirgem como principal gordura adicionada;
– Consuma peixe de 2 a 3 vezes por semana;
– Evite alimentos industrializados e ultraprocessados, prefira os naturais;
– Troque bebidas açucaradas e refrigerantes por água ou bebidas com poucas calorias;
– Evite porções grandes demais;
– Afaste-se de fast-food e frituras.

 

O que fazer como tratamento de gordura no fígado?

Para todos os pacientes, as recomendações são parecidas com as da prevenção, ou seja, adotar um estilo de vida mais saudável, com melhora da dieta e com a prática de atividade física. Para pacientes com diabetes ou sobrepeso, a principal indicação é perder peso.

Os medicamentos utilizados nessa fase geralmente se relacionam com o tratamento de doenças associadas, como diabetes, obesidade, colesterol alto e pressão alta.

As formas de tratamento devem ser conduzidas sempre por profissionais especializados, e nunca o paciente deve se autodiagnosticar ou realizar tratamento, qualquer que seja, por sua própria conta. Seja prudente, faça check-up anual e converse com o seu médico sobre a gordura no fígado.

Apesar de ser uma doença grave e atingir uma parcela considerável da população mundial, existem muitas formas de prevenir que ela surja no seu organismo. E o melhor de tudo: com práticas simples que podem ser adicionadas ao seu dia a dia.

Notícias relacionadas

Mais Lidas

Publicidade