Especiais

Uma família “Sempre Alerta”: conheça alguns integrantes do Grupo Escoteiro Pomerano

Raphael Hoffmann e sua família vivenciam juntos as experiências e aprendizados proporcionados pelo Movimento Escoteiro

5 de agosto de 2023

Foto: Arquivo pessoal

Uma família unida em torno de um movimento repleto de significados. Raphael Hoffmann junto dos filhos Pedro, Gabriel e Otto, vivenciam juntos as experiências e os aprendizados do Escotismo, como parte do Grupo Escoteiro Pomerano. A esposa e mãe, Bárbara, embora não seja integrante do Grupo, também apoia e incentiva todas as ideias.

O envolvimento da família com o movimento escoteiro, em Pomerode, começou com Raphael, que participou da fundação do GEP, em março de 2012. “Antes disso, participei como membro juvenil no extinto Grupo Escoteiro Oásis, de 1993 a 2000. Entrei através de um vizinho que me convidou, depois disso, não larguei mais esta paixão”, relata o escoteiro.

O amor pelo movimento e toda a bagagem que ele proporciona, com aprendizados constantes, principalmente em relação à cidadania, fez com que Raphael trouxesse consigo o restante da família, principalmente com os filhos, que hoje compartilham momentos relacionados ao Escotismo.

“Meus filhos entraram para o GEP assim que completaram sete anos. Só o mais velho, Pedro, iniciou sua vivência no movimento aos nove. E assim, vivenciamos juntos toda a experiência relacionada ao Escotismo. Eles não falam, mas vejo que sentem pressão. Pois cobro mais deles, por ser pai e quero que sejam exemplo. Mas como toda criança, falham e compreendo perfeitamente. Mas também sentem orgulho, pois o pai está ensinando e servindo de exemplo aos amigos deles”, destaca Raphael.

No Brasil somos quase 100.000 escoteiros e no Mundo mais de 60 milhões espalhados por 200 países. Somos reconhecidos pela ONU como a maior instituição de ensino não formal do mundo.

O movimento foi fundado em 1907, na Inglaterra, e para ser escoteiro pode ter qualquer idade. Dentro do movimento, os escoteiros são divididos por idades, cada ramo segue uma dinâmica diferente cumprindo o Programa Educativo Escoteiro.

“Trabalhamos nas seis áreas de desenvolvimento: físico, intelectual, social, afetivo, espiritual e de caráter, com base nas características individuais de cada fase. Os escoteiros acampam, aprendem a fazer uma comida mateira, tem habilidade com as cordas e nós, além das instruções gerais sobre primeiros socorros. Mas, não fazem somente isto, essas são as atividades que a comunidade vê, pois são feitas fora da sede. Nas reuniões semanais instruímos os jovens para a vida. Desde cedo eles aprendem fazendo, trabalhando e cooperando com sua equipe e dividindo o pouco que recebem”, explica Raphael.

O escoteiro destaca, ainda, que a principal proposta do movimento é complementar a formação que cada jovem recebe de sua família e da escola que frequenta, sem tentar substituir nada que elas ensinam. “Ao contrário, queremos agregar. Formar cidadãos responsáveis, participantes e úteis em sua comunidade”, frisa.

Por este motivo, Raphael destaca que é um grande orgulho ter seus filhos fazendo parte do Grupo Escoteiro Pomerano, pelo aprendizado que ele proporciona.

“Alegria imensa! Saber que estão fazendo algo útil e aprendendo a cuidar do mundo e das pessoas. Nunca exigi que participassem, deixei eles optar, mas a escolha deles sempre é participar do escotismo. O fundador Robert Stephenson Smyth Baden-Powell dizia: ‘Procure deixar o mundo um pouco melhor do que você o encontrou!’ Sempre Alerta!”, finaliza o escoteiro.

 

O movimento escoteiro em Pomerode

O movimento escoteiro passou a fazer parte dos ensinamentos oferecidos em Pomerode a partir de 1990, com o Grupo Escoteiro Oásis, fundado, oficialmente, em 20 de maio daquele ano. No entanto, alguns dos ex-integrantes já praticavam atividades escoteiras ainda no fim da década de 80. O Grupo encerrou suas atividades em 2000 e a cidade ficou quase 10 anos sem ter um grupo escoteiro, até o ano de 2012, quando foi fundado o GEP.

Oficialmente, a fundação do Grupo Escoteiro Pomerano foi no dia 10 de março daquele ano e, em 2023, o GEP completou 11 anos de existência. Atualmente, o Grupo possui 138 integrantes, sendo 112 crianças e jovens e 26 adultos voluntários. Além disso, o GEP é orientado e regido pela União dos Escoteiros do Brasil (UEB), entidade reconhecida de utilidade pública federal.

Hoje, o GEP possui duas sedes, na Casa Comunitária Luterana, no Centro, e em Testo Central, na Escola Olavo Bilac. Ainda, a intenção do Grupo é obter mais voluntários, a fim de criar uma terceira sede, em Testo Rega, e assim estar em presente em todas as regiões da cidade.

O Escotismo tem a proposta de contribuir para o desenvolvimento dos jovens, através do auto desenvolvimento, especialmente do caráter. Formando assim, adultos responsáveis, participantes e úteis para sua comunidade.

Por meio das atividades que exigem concentração e esforço, de ações comunitárias e de um conjunto de valores que envolvem a lealdade, cortesia e educação, o Escotismo desenvolve a autonomia, a integração social, além do conceito de cidadania. Crianças e jovens inseguros ou tímidos acabam conquistando mais autoconfiança por meio desses estímulos emocionais e físicos.

“Nossa intenção é proporcionar um ambiente de colaboração, onde se constroem amizades e valores levados por toda a vida. É por meio das atividades oferecidas que os jovens se desenvolvem, sendo incentivados a assumir liderança, a pensar e agir de maneira coletiva e sustentável, a se envolver com a comunidade, afim de tornarem-se independentes de forma responsável. É isso que estamos tentando fazer em Pomerode, melhorar a qualidade de vida e formar cidadãos exemplares”, finaliza Raphael.

Notícias relacionadas