Especiais

O legado de Nelso Hoge

Pomerodense nos deixou na madrugada de segunda-feira, dia 18 de julho

24 de julho de 2022

Foto: Arquivo Pessoal

Um nome muito conhecido da nossa cidade de Pomerode, por conta dos 55 anos de atuação na revenda e distribuidora da Liquigás, no município. Nelso Hoge faleceu na madrugada da última segunda-feira, dia 18 de julho, no Hospital Santa Isabel, em Blumenau. Hoge nasceu em 26 de fevereiro de 1944, em Pomerode, filho de Alfredo e Ida Hoge.

continua após a publicidade

De acordo com sua família, seu idioma materno foi o Plattdeutsch, ao qual tinha orgulho e que foi preservado até o fim de sua vida. Posteriormente, foi alfabetizado na língua portuguesa, mas em casa, sempre prevaleceu o idioma alemão, mantendo as tradições da nossa cultura.

Começou sua jornada no mercado de trabalho aos 16 anos e atuou como menor aprendiz e auxiliar de oficina, na empresa Companhia Mercantil Victor Probst, em Blumenau. Realizava atividades de manutenção em câmaras frias, balcões térmicos, elevadores, entre outros. Em 31 de julho de 1965, casou-se com a Sra. Iris Hoge (nascida Volkmann). Hoge permaneceu na empresa Probst até o final do ano de 1967.

continua após a publicidade

Nesse mesmo ano, voltou a Pomerode e, juntamente com seu irmão Gert, deu início à empresa de distribuição de gás, concessionária Liquigás. Posteriormente, Nelso conduziu o negócio por conta própria até os dias atuais, tendo como braço direito seu filho, Jonas Frederico, atividade mantida por 55 anos até os dias atuais.

“No início, enfrentou muitas dificuldades como muitos empreendedores. E para compensar a baixa demanda de gás do início (existiam, em sua grande maioria, fogões e fornos a lenha), completava seus rendimentos prestando serviços de manutenção em fogões, geladeiras, câmaras frias e outros”, relembra a família.
Nelso também realizou muitas manutenções gratuitas para entidades da cidade, como escolas e o hospital, dando assim, sua contribuição social.

Como pai, Nelso sempre reservava, em especial, atenção na educação dos filhos para o trabalho, cumprimento de metas e compromissos. Toda vez, se preocupava muito em obedecer com suas obrigações. Assim, mantendo sempre esse exemplo na família.

Entre suas principais qualidades estava o amor pela família, pelo trabalho, pelas raízes pomeranas e suas tradições. Amava a música folclórica alemã. Por muitos anos, integrou a equipe de bolão dos “quarta-feirinos” no Clube Pomerode. Chegava em casa ansioso para contar que “tinha feito 180”.

“Para Pomerode, Nelso representava o cidadão nativo, que tinha orgulho de suas raízes, de sua cultura. Amava Pomerode acima de qualquer outra escolha, era aqui que gostava de viver. Sempre muito simples, gostava de conversar com todas as pessoas sobre os mais variados assuntos. Mas tinha predileção quando o tema fosse a criação de gado e a vida no campo. Nelso deixa um legado de respeito ao trabalho e a família. De disciplina e doação”, ressalta o filho, Jorge Hoge.

A família enlutada agradece ao atencioso trabalho realizado pelos Bombeiros Voluntários de Pomerode e aos profissionais de saúde do Hospital e Maternidade Rio do Testo.

Notícias relacionadas

Mais Lidas

Publicidade