Saúde

JP Saúde: Ureterorrenolitotripsia flexível para o tratamentos dos cálculos renais

Minimamente invasiva, a técnica permite o tratamento de cálculos que estejam localizados fora do alcance dos aparelhos tradicionalmente utilizados

12 de junho de 2020

Para viver com saúde em todas as fases da vida, é preciso seguir cuidados que incluem alimentação balanceada, prática de exercícios físicos e prevenção. Mesmo assim, por vezes, surgem algumas doenças que exigem tratamentos complexos e que exigem tecnologia e experiência médica como suportes imprescindíveis.

continua após a publicidade

Quando se trata de problemas urológicos, ao contrário do que a maioria das pessoas imagina, todos estão suscetíveis, incluindo homens, mulheres e crianças.  As alterações genito-urinárias, que também podem aparecer em qualquer idade, envolvem cólicas renais, infecções nos rins, tumores, infertilidade e diversas outras.
Por isso, fazer exames rotineiros, estar atento aos sinais emitidos pelo corpo e procurar acompanhamento médico é essencial para a manutenção da saúde urológica. Com apoio da tecnologia e de profissionais qualificados, é possível tratar grande parte dos problemas com menos dor e mais eficiência.

Um exemplo é a ureterorrenolitotripsia flexível. Apesar do nome difícil, o tratamento tem uma indicação que envolve milhares de pessoas: ajuda a resolver os temidos cálculos urinários. Minimamente invasiva, a técnica endoscópica permite o tratamento de cálculos que estejam localizados fora do alcance dos aparelhos semirrígidos tradicionalmente utilizados.

continua após a publicidade

 

O ureteroscópio flexível pode atingir todos os locais do aparelho urinário através da uretra, sem que, para isso, seja necessária qualquer incisão na pele. Nesta técnica, a fonte de energia utilizada para quebrar o cálculo urinário é o Laser, que é gerado pela conversão de energia elétrica em energia luminosa e atua como uma onda de choque responsável pela destruição dos cálculos. Quando acionado, ele inicia a pulverização do cálculo sob o controle visual do cirurgião.

Os fragmentos restantes podem ser retirados com pinças ou “baskets” ou, quando são de tamanho muito pequeno, acabam eliminados espontaneamente na urina. A grande vantagem desta tecnologia é a capacidade de fragmentar todos os tipos de cálculos com índices de sucesso que chegam próximos a 98,5%.

 

A diferença entre a ureterolitotripsia rígida e a flexível é que a primeira é feita com um ureteroscópio rígido que permite a visualização e manipulação de cálculos apenas em linha reta e é utilizada, principalmente, para as pedras localizadas no ureter. Já a ureterolitotripsia flexível é realizada com um ureteroscópio flexível que pode ser curvado até 270°, o que permite a eliminação dos cálculos localizados no ureter proximal como no interior do rim.

A ureterolitotripsia flexível a laser permite tratar múltiplos cálculos renais na mesma cirurgia. Por ser um procedimento endoscópico minimamente invasivo, oferece a vantagem de retorno rápido às atividades diárias e período de internação mais curto. Em geral o (a) paciente recebe alta no mesmo dia do procedimento.

Dr Raphael Lahr, 
Médico Urologista

Notícias relacionadas

Mais Lidas

Publicidade