Especiais

Equoterapia: um método com inúmeros benefícios

Associação de Equoterapia de Pomerode (ASSEPOMER) oferece sessões deste modelo de terapia de forma gratuita, auxiliando quem precisa destes estímulos

12 de fevereiro de 2023

Foto: Isadora Brehmer / Jornal de Pomerode

Não é um conhecimento recente que os animais podem ser parceiros dos seres humanos, em terapias para melhorar a saúde e o bem-estar de quem precisa. Terapia com cães, por exemplo, já faz parte da rotina de alguns hospitais, mas existem outros animais que podem ser parceiros em tratamentos específicos.

Um destes, é por meio da Equoterapia, um método terapêutico, com o auxílio de cavalos, que realiza uma abordagem interdisciplinar na saúde, educação e equitação, com o objetivo de estimular o desenvolvimento biopsicossocial de pessoas com deficiência e/ou necessidades especiais.

Em Pomerode, há um projeto social que visa oferecer este método ao maior número possível de crianças. A Associação de Equoterapia de Pomerode (ASSEPOMER) é uma iniciativa que oferece as sessões de Equoterapia de forma gratuita e é filiada à Associação Nacional de Equoterapia (ANDE Brasil).

O Projeto surgiu no ano de 2018, por iniciativa de Roberto Reichert. Antes da criação oficial do projeto, a ideia já existia, mas não foi possível coloca-lo em prática, até então. No primeiro ano da iniciativa, três crianças eram atendidas no local e hoje já são 15 alunos participando das sessões de Equoterapia.

Ainda, a ASSEPOMER segue o que é exigido pela ANDE Brasil em relação à equipe necessária para oferecer o serviço de Equoterapia. São três profissionais que atuam no projeto, a equitadora Vivian Hildebrandt, a psicóloga Milene Faht e a fisioterapeuta Fabiana Bertagnolli.

 

ASSEPOMER estimula a terapia com cavalos. (Foto: Isadora Brehmer / Jornal de Pomerode)

 

“Nosso objetivo é ampliar ainda mais o nosso número de atendimentos. O nosso projeto, da ASSEPOMER, é 100% mantido pela iniciativa privada, ou seja, boa parte dos custos são mantidos pelo Rancho e temos o auxílio de alguns empresários e amigos. As famílias dos alunos atendidos aqui não pagam nada para participar, é 100% gratuito”, afirma Vivian Hildebrandt, equitadora e coordenadora do projeto.

Mesmo sendo um projeto de participação gratuita, para ingressar na Equoterapia, as crianças passam por uma avaliação física, psicológica e socioeconômica. “Isso porque o objetivo do projeto é atender as crianças que tenham necessidade e cujas famílias não tenham um poder aquisitivo tão grande. Hoje, temos alunos com paralisia cerebral, autismo, e portadores de algumas síndromes”, explica Vivian.

E para continuar oferecendo um serviço de qualidade, de forma gratuita à comunidade, a ASSEPOMER busca, hoje, obter a declaração de Utilidade Pública. Os trâmites para esta obtenção já foram iniciados e a Associação aguarda esta definição.

“Conseguindo essa declaração, poderemos pleitear recursos para ampliação e melhor atendimento”, destaca a coordenadora. Cada sessão acontece com horário marcado e dura, em média, de 30 a 40 minutos. Um dos alunos que frequenta a Equoterapia na ASSEPOMER é Guilherme Passold, de cinco anos, que possui diagnóstico do Transtorno do Espectro Autista (TEA).

 

Atividades lúdicas também fazem parte da Equoterapia. (Foto: Isadora Brehmer / Jornal de Pomerode)

 

Segundo o pai do menino, John Passold, a decisão de proporcionar a Equoterapia a Guilherme foi uma sugestão de outros terapeutas.

“Desde o diagnóstico, quando ele tinha cerca de dois anos de idade, todos os terapeutas recomendaram a Equoterapia. Nós buscamos um local em que ele pudesse fazer, durante algum tempo, mas estávamos conseguindo nenhuma sessão, até que, pelo Instagram, encontramos a ASSEPOMER, que tornou possível que ele tivesse a Equoterapia”, conta John.

Guilherme já participou de três sessões e, mesmo com o pouco tempo de terapia, já é possível perceber os benefícios dela, de acordo com seu pai.

“Já conseguimos notar como ele fica mais calmo após as sessões e percebemos a grande alegria dele ao vir andar a cavalo. Com certeza o Guilherme adora a atividade e fica muito feliz quando pode vir às sessões de Equoterapia”, conta.

 

Benefícios da Equoterapia

A fisioterapeuta que compõe a equipe da ASSEPOMER, Fabiana Bertagolli, explica os motivos que fazem da Equoterapia um dos tratamentos mais indicados para portadores que síndromes que influenciam a parte motora do paciente, assim como para quem tem paralisia cerebral e autismo.

“O cavalo é o único animal que imita o andar humano. Ele tem movimento tridimensional, como o nosso caminhar. Anda para um lado e para o outro, para cima e para baixo, e para frente e para trás. Por este fato, a Equoterapia já traz muitos benefícios”, explica.

E, para que estes benefícios sejam obtidos, é necessário preparo por parte do fisioterapeuta que aplica a Equoterapia, bem como a observação das condições de cada aluno. “Para as deficiências motoras, fazer a Equoterapia ajuda a estimular os movimentos. E é preciso avaliar com cuidado cada caso, pois o movimento de cada cavalo precisa ser condizente com a necessidade do paciente. Para crianças com hipotonia, que é quando há menos tônus muscular, precisamos de um cavalo que ande mais rápido. Para os hipertônicos, deve ser um cavalo que tenha um andar mais tranquilo, como é o caso dos autistas, por exemplo”, esclarece a fisioterapeuta.

 

Foto: Isadora Brehmer / Jornal de Pomerode

 

Depois, junto ao andar do cavalo, são realizadas atividades lúdicas, que também estimulam os movimentos e a coordenação, para ser interessante para as crianças. Hoje, a ASSEPOMER tem alunos com deficiência motora, que pode ser causada por paralisia cerebral ou por alguma síndrome, e com autismo. E cada um possui estímulos diferentes.

“Sempre destacamos para os pais que só o fato de estar andando a cavalo, já é uma forma de receber o tratamento. O objetivo da Equoterapia é realmente estimular através do andar do cavalo. Para os autistas, eles chegam ao rancho, fazem a atividade e saem mais tranquilos. Este é um dos principais benefícios, esse estímulo à socialização”, destaca Fabiana.

Ainda, segundo a ANDE Brasil, a Equoterapia emprega o cavalo como agente promotor de ganhos a nível físico e psíquico. Esta atividade exige a participação do corpo inteiro, contribuindo, assim, para o desenvolvimento da força muscular, relaxamento, conscientização do próprio corpo e aperfeiçoamento da coordenação motora e do equilíbrio.

A interação com o cavalo, incluindo os primeiros contatos, os cuidados preliminares, o ato de montar e o manuseio final desenvolvem, ainda, novas formas de socialização, autoconfiança e autoestima.

 

Notícias relacionadas