Especiais

Artista retrata pontos turísticos de Pomerode, de forma realista

Artista cria obras realistas, de pessoas e construções, como forma de gerar empatia

12 de junho de 2022

Foto: Isadora Brehmer / Jornal de Pomerode

Quem passa pelo Centro Cultural de Pomerode, deve fazer uma visita à Galeria Municipal de Artes Erwin Curt Teichmann, onde há a exposição da artista plástica Suzan Naffin Borchardt.

continua após a publicidade

Natural de Blumenau, sua relação com a arte começou por volta dos 12 anos, quando venceu um concurso de pintura entre escolas, em sua cidade natal. O destaque com a vitória marcou a vida de Suzan e a fez perceber que tinha um talento especial para a arte, que se tornou sua carreira.

A artista plástica trouxe a Pomerode um pouco do seu trabalho retratando pontos importantes da Cidade Mais Alemã do Brasil, baseados no realismo da formas. Retratos também são um destaque do trabalho de Suzan.

continua após a publicidade

“Eu fiz um curso de artesanato, área em que fiquei por muitos anos, e que foi importante na questão de pinceis e tintas. Sempre tive incentivo do meu marido e continuei buscando capacitação e conhecimento na área da arte”, conta.

Em 2014, Suzan estudou licenciatura em Artes Visuais, em Joinville, onde também participou de um curso de pintura e desenho, na Casa da Cultura. De 2015 a 2021, morou em Ilshofen, na Alemanha, onde aprimorou sua técnica de pintura em telas e desenhos realistas.

“Tendo estas formações, resolvi abrir meu atelier, na Alemanha, e cheguei a tentar fazer duas exposições, mas com a pandemia não foi possível. Voltamos ao Brasil e abri o atelier aqui. Tentamos vir morar em Pomerode, não foi possível, mas, mesmo assim, com a identificação que temos com o idioma alemão, decidi tentar fazer uma exposição aqui. Insisti, enviei e-mails, busquei contatos e consegui fazer minha exposição aqui na cidade”, comenta a artista plástica.

A maior parte dos trabalhos de Suzan utiliza a técnica de nanquim sobre papel e acrílico sobre tela, com riqueza de detalhes. Ela relembra que uma das obras que mais marcou a sua trajetória foi a sua primeira encomenda, na Alemanha, um quadro gigante para uma empresa, que retratava uma obra deles nos Emirados Árabes. O quadro, depois de pronto, ficou na Alemanha.

Foto: Isadora Brehmer / Jornal de Pomerode

 

Para Suzan, o melhor em poder finalmente ter seus quadros expostos, é receber o feedback do público.

“Os feedback’s que recebemos são sempre muito legais. Diversas pessoas comentam que se identificam com os quadros, principalmente os que retratam rostos. Os homens, por exemplo, também se identificam e ficam nostálgicos com os quadros com carros. Nesta exposição, tentei trazer várias coisas de Pomerode, para que o público daqui e os turistas se identificassem com que estava exposto. Um exemplo é de uma casa antiga, que eu pintei, e, quando postei no Instagram, a neta dos antigos proprietários dela entrou em contato, dizendo o quanto tinha ficado emocionada em ver a casa na qual ela passou a infância. Isso é muito especial. São feedback’s como este que nos dão ânimo para continuar e nos provam o nosso talento. É muito satisfatório”, enaltece.

Atualmente, Suzan define sua relação com a arte como um refúgio, um momento em que se dedica a si mesma e que se transforma em uma terapia. Para conhecer mais do trabalho da artista, pode buscar no Instagram por @naffin.atelier.

Notícias relacionadas

Mais Lidas

Publicidade