Especiais

Amor e carinho como ingredientes de sucesso

Elsita dos Santos é cozinheira na Escola Almirante Barroso há 26 anos e fala sobre o amor à profissão e à tarefa de alimentar aos alunos da instituição

14 de maio de 2022

Foto: Isadora Brehmer / Jornal de Pomerode

Mais de 20 anos dedicados à tarefa de alimentar os alunos da Escola Básica Municipal Almirante Barroso. Elsita Elert dos Santos é auxiliar de serviços gerais escolar na cozinha e atua há 26 anos na escola do bairro Testo Rega. Em 1996, a história de Elsita na instituição começou.

continua após a publicidade

“Na época eu morava no Alto da Serra e a cozinheira que trabalhava naquela escola iria se aposentar. Então, a diretora indicou algumas mães que poderiam tentar o concurso, e eu fui uma delas. Em menos de 30 dias, acabei vindo trabalhar aqui no Almirante, e não fui mais embora”, comenta a cozinheira.

O rosto de Elsita se tornou conhecido na escola e, hoje, ela é uma das figuras mais queridas da comunidade do Almirante Barroso. E várias pessoas definem dedicação como uma palavra que bem a define.

continua após a publicidade

“Eu sou sou a primeira que chega, da cozinha, à escola, por volta das 6h30min. Isso porque eu começo a preparar a maioria das coisas e fico responsável pelo preparo delas, como os bolos, por exemplo. Mas tenho o auxílio de mais duas pessoas na cozinha, e juntas, fazemos as refeições para todos na Escola Almirante Barroso”, afirma Elsita.

O preparo dos alimentos do dia começa cedo, por volta das 6h30min, todos os dias. (Foto: Isadora Brehmer / Jornal de Pomerode)

 

A rotina da cozinheira varia de acordo com o dia da semana, já que a escola possui um cardápio, definido em conjunto com a nutricionista responsável da Secretaria de Educação. Por exemplo, quando o lanche do dia é bolo, a refeição é preparada na parte da manhã, porque o doce ainda pode ser servido na parte da tarde.

No entanto, quando o prato do dia, para o lanche dos alunos, é uma comida quente, é preparado em duas etapas, de manhã e à tarde, para os dois turnos. Além disso, Elsita e as outras auxiliares de serviços gerais da cozinha preparam almoço todos os dias.

Elsita comenta que já havia aprendido algumas coisas relacionadas à cozinha antes de trabalhar na escola, mas com o tempo e as formações oferecidas, pôde ampliar muito mais seus conhecimentos, com principalmente com as capacitações junto à nutricionista.

“Nestes anos todos, o que mais mudou foi a comida. Hoje em dia, há uma preocupação muito maior com a qualidade dos alimentos servidos, para que sejam saudáveis e nutritivos. Antigamente, muita coisa vinha pronta, processada, e na maioria das vezes era só misturar à água. Hoje tudo é feito aqui, os bolos, as sopas, feijão, arroz, macarrão, a carne, tudo nós preparamos. A única coisa que vem pronta são as bolachas. Além disso, hoje temos opções muito mais saudáveis, contribuindo com a educação alimentar das crianças. Outra coisa que mudou foi a regionalização, nós servimos cuca, melado, coisas com batata doce, que são coisas da nossa região aqui, do interior”, enumera a cozinheira.

Dona Elsita prepara os bolos e outras refeições com muito carinho. (Foto: Isadora Brehmer / Jornal de Pomerode)

 

Elsita comenta que sente um carinho muito grande pela profissão que exerce diariamente e garante que se manterá firme em sua missão, até quando precisar se aposentar. O carinho recebido dos alunos, segundo a cozinheira, é uma de suas coisas favoritas no trabalho.

“O que eu mais gosto é ver as crianças comendo, amo poder ver quando elas gostam da comida, porque é visível a animação no rosto deles. O que eles mais gostam são macarrão e carne moída, feijão com arroz e bolo mesclado. Também gosto quando recebemos algum ex-aluno e ele se recorda de nós, pelo nome, e fala de como se lembra do que nós preparamos, é muito especial. Outro ponto que sempre gostei muito foi quando familiares das crianças nos perguntavam sobre alguma receita, porque o aluno gostou muito. Uma vez, houve um caso em que vieram me pedir o que era “a coisa laranja” na carne moída, que tinha na escola, porque gostava muito. Contei que era a abóbora e fiquei feliz por terem me procurado. Isso é muito gratificante”, destaca Elsita, emocionada.

A diretora da Escola Almirante Barroso, Aneli Rothbarth, destacou o comprometimento de Elsita e a forma carinhosa como ela trata a todos.

“A dona Elsita é uma funcionária muito comprometida, dedicada. Ela, além de ser funcionária, é uma colega de trabalho muito envolvida com todos, professores, alunos, pais. A dona Elsita respira a escola Almirante Barroso com muito amor, carinho e dedicação”, finaliza a diretora.

Notícias relacionadas

Mais Lidas

Publicidade