Estado

Acusado de matar a filha, em Rodeio, é condenado a mais de 43 anos de prisão

Crime ocorreu em abril do ano passado, na localidade de Rio Belo.

24 de agosto de 2022

Foto: Divulgação / TJSC

O homem acusado de matar a própria filha com golpes de faca e ferir a ex-mulher e outras três pessoas da mesma família, foi condenado nesta terça-feira, 23 de agosto, na comarca de Ascurra, Vale do Itajaí.

A sessão do Tribunal do Júri foi presidida pelo juiz Josmael Rodrigo Camargo, da Vara Única daquela comarca. O crime ocorreu em abril do ano passado, na localidade de Rio Belo, na cidade de Rodeio.

O Conselho de Sentença do Tribunal do Júri da comarca de Ascurra condenou o réu à pena de 43 anos, três meses e seis dias de reclusão, inicialmente, em regime fechado, mais três meses e 18 dias de detenção, por homicídio qualificado por motivo fútil, uso de recurso que impossibilitou a defesa da vítima e feminicídio (filha); tentativa de homicídio qualificada por feminicídio, motivo fútil e uso de recurso que impossibilitou a defesa da vítima (ex-mulher) e duas tentativas de homicídio qualificadas por motivo fútil e uso de recurso que impossibilitou a defesa da vítima (ex-sogra e ex-cunhado) e desclassificou uma tentativa de homicídio qualificado para lesão leve (ex-sogro).

Segundo a denúncia do Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), uma escalada de violência permeou toda a união do casal – que conviveu em união estável por, aproximadamente, 23 anos e teve três filhos –, mas foi nos 15 dias anteriores ao fato que as agressões e ameaças se intensificaram. Cansada da situação, a mulher procurou a polícia e pediu uma medida protetiva contra o agressor, mas, antes mesmo de ser intimado da decisão, o homem teria decidido matar a companheira e quem mais tentasse impedi-lo.

Ainda de acordo com o MPSC, armado com uma carabina artesanal calibre .22, uma faca tática e uma faca de cozinha grande, o denunciado foi até a residência da família da ex-mulher e esfaqueou – com quatro golpes – a própria filha, que não resistiu aos ferimentos e morreu; ainda, feriu outras quatro pessoas: a ex-mulher, o ex-sogro, a ex-sogra e o ex-cunhado. A decisão de Primeiro Grau é passível de recurso.

 

Notícias relacionadas