Trânsito

VÍDEOS: máquina que foi arrastada por deslizamento na BR-470, em Rio do Sul, é retirada do Rio Itajaí-Açu

Trabalho de remoção foi realizado neste fim de semana

26 de fevereiro de 2024

Foto: Divulgação / DNIT

A máquina que foi arrastada pelo deslizamento de terra na rodovia BR-470, em Rio do Sul, foi retirada do Rio Itajaí-Açu, neste fim de semana.

Com a ajuda de tratores, a máquina foi retirada do Rio no sábado, 24 de fevereiro, após ter sido engolida pelo segundo escorregamento de materiais, no km 143 da rodovia, que aconteceu no dia 16 de fevereiro.

De acordo com a Prefeitura de Rio do Sul, o trabalho de retirada da máquina foi terceirizado pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT).

Imagens do perfil Rio do Sul do Alto registraram a retirada da máquina de dentro do Rio:


 

DNIT intensifica trabalhos no local

Nesta nova fase da obra, o Departamento colocará em atividade mais de 40 caminhões para operar no transporte das rochas a fim de refazer o aterro da rodovia. Ao mesmo tempo, as equipes realizam a remoção de uma camada de cerca de cinco metros de profundidade de solo mole (argiloso) que há no local, fazendo a substituição do material por rocha.

Essas medidas foram confirmadas em reunião realizada na manhã desta segunda-feira entre o DNIT, empresa contratada para a obra, técnicos e projetistas, para avaliação dos resultados dos estudos de solo e do rio realizados ao longo da última semana. Os estudos já foram totalmente concluídos e indicaram o reaterro em rocha como solução para o trecho.

Além dos estudos, nos últimos dias as equipes do DNIT também concluíram o caminho de serviço (para que o maquinário acesse a base da cratera), a remoção de árvores e deram início à remoção de solo mole e aplicação de rocha.

O DNIT também atua em parceria com outros entes para avançar na obra. O Departamento solicitou à concessionária de gás natural para que remova as tubulações deste ponto da BR-470/SC e à prefeitura de Rio do Sul para que proceda com as obras de drenagem em ruas municipais próximas.

 

Relembre a situação

Tudo começou no dia 14 de fevereiro, depois que uma enorme cratera se abriu na rodovia, no trecho do km 143, devido ao grande volume de chuva registrado naquela semana.

Dois dias depois, um deslizamento de terra foi registrado no mesmo local, e por pouco não atingiu trabalhadores que atuavam no local. Apenas uma máquina foi arrastada.

Notícias relacionadas