Meio Ambiente

Prefeitura de Pomerode investiga lançamento de substância causadora de “espuma” no Rio do Testo

Registros da substância no Rio, já com a formação de espuma, foram feitas nos dois últimos fins de semana

3 de julho de 2024

Foto: Divulgação

Na tarde de ontem, terça-feira, 02 de julho, a Prefeitura de Pomerode emitiu um comunicado afirmando que está apurando o que está causando a espuma branca e densa vista por moradores no Rio do Testo, na região de Testo Central.

De acordo com o departamento de meio ambiente da Secretaria de Planejamento e Meio Ambiente de Pomerode (SEPLAN) há dois fins de semana os registros da espuma no Rio do Testo são registrados.

No último sábado, 29 de junho, representantes do departamento foram a locais em que houve relatos de espuma no Rio, mas ainda não foi possível identificar o local do eventual lançamento de alguma substância. Ainda no sábado, a Polícia Militar Ambiental foi acionada para que auxilie nos trabalhos de busca pela fonte do lançamento.

Ao longo da semana passada, segundo a SEPLAN, foram realizadas vistorias diárias nas regiões onde a espuma foi avistada, mas em nenhum dos dias houve registro dela. Ainda de acordo com a SEPLAN, até o momento foi possível apurar que se trata de algum componente químico, que não aparece na água, até que chegue a uma queda d’água localizada próxima à empresa Weiku do Brasil, o que dificulta a identificação do local de lançamento.

No entanto, está sendo realizado o monitoramento de todas as saídas próximas ao local, inclusive com drones, para encontrar o foco do lançamento.

“Caso seja identificado o causador do problema e, sendo uma empresa responsável, por se tratar de um crime ambiental, ela está sujeita a sanções de auto de infração ambiental e os processos são encaminhados ao Ministério Público, onde pode responder criminalmente pelo lançamento do efluente fora do padrão”, afirmou o diretor de meio ambiente da SEPLAN, Jaime Eduardo Jensen.

A Secretaria destaca, ainda, que denúncias ou comunicados com alguma informação a respeito podem ser encaminhados à Ouvidoria, pelo número 3387-7234.

Notícias relacionadas