Coluna do Mani

O Vale Europeu invadindo o Floripa Airport

De olho na próxima temporada de verão e na flexibilização dos eventos em Santa Catarina, anunciada pelo governo estadual, diversas empresas, entidades e representantes do poder público do estado e do Vale Europeu iniciaram um receptivo turístico na sexta-feira (24), no Floripa Airport, considerado hoje o melhor aeroporto do país….

30 de setembro de 2021

De olho na próxima temporada de verão e na flexibilização dos eventos em Santa Catarina, anunciada pelo governo estadual, diversas empresas, entidades e representantes do poder público do estado e do Vale Europeu iniciaram um receptivo turístico na sexta-feira (24), no Floripa Airport, considerado hoje o melhor aeroporto do país. Até o fim de outubro, uma série de atrações mostrarão diariamente os atrativos desta região do estado, conhecida mundialmente.

continua após a publicidade

Os 18 municípios que compreendem a região terão nesta exposição, chamada ‘Sempre Vale Europeu’, a oportunidade de mostrar suas particularidades. Pomerode também está sendo representada e fiquei muito feliz em participar deste receptivo, representando nossa cidade e também a Instância Governamental Regional de Turismo da região, como seu atual presidente.

Para quem tiver a oportunidade de estar pela nossa capital até o fim do mês, fica o convite para prestigiar as atrações que foram pensadas para levar o melhor da nossa região aos viajantes do nosso Brasil que passam pelo Floripa Airport.

continua após a publicidade

 

Mais de oito milhões de doses aplicadas

Santa Catarina já registra em seu Vacinômetro a marca de 8.066.535 imunizantes aplicados contra o Coronavírus. No primeiro dia de setembro, o Estado havia ultrapassado as sete milhões de doses registradas. Menos de um mês depois, mais um milhão de doses aplicadas pelos municípios catarinenses. Ao todo, cerca de 50% da população apta está com esquema vacinal completo no estado, tendo recebido as duas doses ou dose única.

Uma importante marca para nosso estado, não é?

 

Intervalo entre vacinas da Gripe e Covid-19 é suspenso

O Ministério da Saúde recomendou a suspensão do intervalo entre a aplicação das vacinas contra a covid-19 e contra o vírus Influenza, causador da gripe. A informação foi confirmada pelo titular da pasta, Marcelo Queiroga, em rede social.  

“Proteção em dose dupla: a nova recomendaçao do @minsaude retira o intervalo entre as vacinas da influenza e da #Covid19. A vacina da gripe pode ser aplicada a partir dos 6 meses de vida. Toda população pode ir a um posto de saúde e garantir sua imunização contra a gripe!, disse Queiroga por meio de sua conta no Twitter. 

O ministro não informou quando a nova recomendação vai começar a valer. A decisão foi tomada após reunião da Câmara Técnica de Assessoramento em Imunização (CTAI) que recomendou ao Ministério da Saúde o fim do prazo mínimo para a aplicação entre as vacinas, com o objetivo de aumentar a vacinação contra as duas doenças.

Atualmente, o Programa Nacional de Imunização (PNI), diz que o intervalo entre a vacinação contra a covid-19 e o do imunizante contra a Influenza deve ser de no mínimo 14 dias. O intervalo também vale para as outras vacinas do Calendário Nacional de Vacinação.

 

Vai começar o Outubro Rosa! 

Outubro já é conhecido mundialmente como o mês marcado por ações relacionadas a prevenção e diagnóstico precoce do câncer de mama e, mais recentemente, do colo do útero. O objetivo da campanha é conscientizar as mulheres sobre as doenças e contribuir para a redução da mortalidade.

O câncer de mama é o tipo que mais acomete mulheres em todo o mundo. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca), para o Brasil, foram estimados 66.280 casos novos de câncer de mama em 2021, com um risco estimado de 61,61 casos a cada 100 mil mulheres.

Em Santa Catarina, no ano passado 660 mulheres morreram vítimas do câncer de mama. Em 2021, até o dia 24 de setembro, 429 óbitos pela doença já tinham sido registrados no Sistema de Informação de Mortalidade (SIM).

Já com relação ao câncer de colo do útero, foram 205 vítimas da doença no ano passado e, neste ano, até o dia 24 de setembro, foram 143 registros.

Notícias relacionadas

Mais Lidas

Publicidade