Esporte

O esporte como forma de aliança entre as pessoas

Irmãs Carmelitas de Pomerode desfrutam de momentos de lazer, jogando Volêi de Areia.

16 de julho de 2022

Foto: Raphael Carrasco / Jornal de Pomerode

Através do esporte, podem ser trabalhados valores como a comunhão, a fraternidade e disciplina. Por conta disso, pessoas ligadas a entidades religiosas também podem praticar alguma atividade esportiva e fazer dela algo que engrandeça, ainda mais, sua conexão com Deus.

continua após a publicidade

É o caso das Irmãs Carmelitas, que nesta semana, estiveram na Pommer Sports, jogando uma partida de Vôlei de Areia, com mais algumas pessoas. A cena, lógico, chamou a atenção de quem esteve no local, principalmente, pelo fato delas estarem com o tradicional “hábito”.

Após a partida, as Irmãs Patrícia Peixoto Marques e Thaynara Stefane Cabral de Carvalho conversaram com a equipe do Jornal de Pomerode, para falar sobre a atividade. “Uma vez por mês, nos é permitido interagir com os leigos, que frequentam nossa casa, para alguma atividade de lazer. No caso, resolvemos fazer esse momento esportivo”, relatam.

continua após a publicidade

As irmãs dizem que, na História da Igreja Católica, este tipo de atividade é muito comum.

“Muitos santos, enquanto estiveram na Terra, conseguiam atrair as pessoas, justamente, através desses momentos de lazer e de esporte. Um dos exemplos é São João Bosco. Quantas pessoas ele não conseguiu atrair, quando, ali no oratório, estava no meio dos jovens? Através da presença de Deus, ele evangelizava e falava de Cristo. E, hoje, o fato de estarmos aqui jogando, a convite de uma família, para nós é uma alegria, principalmente, por meio do esporte, atividade que é permitida que pratiquemos”.

O fato de usarem o “hábito” durante o jogo de vôlei, para elas, também é uma forma dos frequentadores lembrarem de Deus.

 

Foto: Raphael Carrasco / Jornal de Pomerode

 

“Procuramos fazer com que as pessoas tenham consciência dessa presença de Deus em nós, e que, realmente, na nossa vida é uma vida de oração. Mas também somos humanas e gostamos de esporte, de lazer e de alegria. E a roupa acaba não interferindo nos movimentos”, destacam.

Para concluir, Irmã Patrícia e Irmã Thaynara enfatizam que não encaram o jogo como algo que traga discordância, mas sim, a integração entre as pessoas.

“Para nós, tudo não passa de uma grande brincadeira, não há inimigos do outro lado. Com isso, conseguimos propagar o trabalho em equipe, o respeito para com nossos irmãos, a comunhão e a fraternidade. E como iremos trabalhar com as crianças que futuramente vamos acolher em nossa comunidade esses valores, nada melhor do que vivê-los, em sua plenitude, neste momento de lazer”, finalizam.

 

Notícias relacionadas

Mais Lidas

Publicidade