Coluna do Mani

A nova plataforma do Jornal de Pomerode

Confira o que saiu na minha coluna, na edição impressa desta semana

14 de janeiro de 2022

Foto: Raphael Carrasco / Jornal de Pomerode

O dia 14 de janeiro ficará marcado por uma nova era na história do Jornal de Pomerode. Estamos lançando o nosso novo site, com várias mudanças e ajustes feitos para melhorar a experiência dos nossos leitores com as notícias no formato digital. Dinâmico, rápido e com funções pensadas para você, o portal está de cara nova, sem perder a credibilidade, confiança e competência de toda a equipe do JP. Além de conferir todas as notícias, o nosso novo site irá contar com o Classificados, totalmente de graça, para você. Basta você anunciar o que deseja, tudo muito fácil e acessível.

continua após a publicidade

 

Alerta de golpe!

continua após a publicidade

A Celesc vem recebendo relatos de alguns clientes do Grupo A (grandes indústrias) e também do Grupo B (empresas, comércios, serviços e pessoas físicas) sobre tentativas de golpes utilizando o nome da distribuidora catarinense. Em um dos casos foi enviada uma falsa fatura de energia elétrica por e-mail, com layout muito parecido ao da fatura emitida pela Celesc, além de data de vencimento e do valor estarem muito próximos aos verdadeiros. Já em outro caso, o cliente recebeu um telefonema de golpistas que se identificaram como funcionários da Secretaria de Justiça, alegando a existência de débitos com a Celesc.

A fim de prevenir e de evitar possíveis transtornos originados por golpes, a Celesc reforça o alerta e pede a seus clientes que estejam atentos a alguns detalhes na mensagem e na fatura que chega por e-mail, como:

O e-mail que enviou a faturade energia deve ser o oficial da Celesc (com o domínio @celesc.com.br);
O banco arrecadador deve ser o Banco do Brasil;
O beneficiário do pagamento deve ser Celesc Distribuição S.A.

A data de vencimento da fatura é escolhida pelo cliente e só é alterada quando o cliente assim solicita. Ou seja, a Celesc não prorroga nem altera a data de vencimento das faturas, sem que o pedido tenha sido feito pelo consumidor;

A Celesc não solicita depósito em conta, não liga para solicitar dados do consumidor e os serviços são agendados pelo próprio cliente.

Por isso, nunca clique em links suspeitos e, na dúvida, entre em contato com a Celesc por meio dos canais oficiais de atendimento.

 

Teto da aposentadoria

Os aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) que recebem mais de um salário mínimo terão aumento de 10,16% em 2022. O reajuste segue a variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) de janeiro a dezembro de 2021, divulgado hoje (11) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Com o reajuste, o teto do INSS sobe de R$ 6.443,57 para R$ 7.087,22. O aumento de 10,16% vale para os demais benefícios da Previdência Social acima do salário mínimo, como o auxílio-doença, e valerá a partir de 1º de fevereiro, quando será paga a folha de janeiro.

A correção também incide sobre as contribuições recolhidas à Previdência Social, tanto as descontadas automaticamente dos trabalhadores com carteira assinada como as que são pagas por profissionais autônomos. No caso dos microempreendedores individuais (MEI), que têm tabela própria, a contribuição mensal subiu para R$ 60,60, acrescida de R$ 1 para quem trabalha com comércio e indústria e de R$ 5 para quem atua no setor de serviços.

Quanto aos beneficiários do INSS que recebem um salário mínimo, a correção ficou em 10,18%, um pouco acima do INPC de 2021. O índice foi definido no fim do ano passado, quando o presidente Jair Bolsonaro editou a medida provisória que fixou em R$ 1.212 o salário mínimo para 2022. Apesar de o salário mínimo ter aumentado um pouco mais que o INPC, os segurados não terão ganho real (acima da inflação). Isso porque aproximadamente R$ 2 do valor reajustado foram concedidos como compensação pelo reajuste abaixo da inflação em 2021. O reajuste de 10,16% vale apenas para quem estava recebendo os pagamentos em 1º de janeiro do ano passado. Os segurados que começaram a receber benefícios do INSS em fevereiro terão percentual menor de reajuste porque não receberam 12 meses cheios de pagamentos. Os percentuais de reajuste proporcionais serão regulamentados nos próximos dias pelo Ministério do Trabalho e Previdência e pelo INSS.

 

Saldo positivo

Ao analisar o resultado de 2021, o dado mostra alta de 19% em novos negócios se comparado com o ano de 2020 (saldo 115.571) e, crescimento de 42% em relação a 2019 (saldo 97.034), período em que não existia a pandemia da Covid-19. Para o Presidente da Jucesc, Gilson Lucas Bugs, além de contar com um povo empreendedor, a sucessão dos recordes é fruto também de um ambiente de negócios mais favorável, assim como os investimentos do Governo na simplificação do registro empresarial e políticas públicas de apoio ao empreendedor.

Conforme o Observatório Jucesc, entre os negócios abertos em 2021 no estado, considerando o saldo de novas empresas, o setor de comércio liderou com 29.949 empreendimentos. Seguido por: indústria de transformação (16.360); construção (15.381); atividades profissionais, científicas e técnicas (11.082); outras atividades de serviços (10.867); atividades administrativas e serviços complementares (10.580); alojamento e alimentação (9.993); transporte, armazenagem e correio (9.679); educação (5.964); informação e comunicação (4.511); saúde humana e serviços sociais (3.880); serviços domésticos (3.242); atividades imobiliárias (2.533); entre outros.

Os dados apresentados pelo Observatório Jucesc refletem ainda, o ritmo da continuidade da retomada econômica no estado e revelam uma tendência de mercado, o empreendedorismo como oportunidade ou necessidade. O saldo das naturezas jurídicas de 2021 confirma o fato. Só no ano passado, cerca de 80% dos novos negócios foram MEIs (108.469).

Hoje, o total de empresas ativas em Santa Catarina é de 1.098.820. Com os indicadores econômicos atuais do estado e, também, o conjunto de informações do Observatório Jucesc, que apresenta crescimento ano após ano, a expectativa da autarquia é de que o número de novos negócios continue subindo em Santa Catarina neste ano. Portanto, o foco da Junta continuará na simplificação e desburocratização ainda mais dos processos de registro mercantil.

Notícias relacionadas

Mais Lidas

Publicidade