Sexta-Feira, 25 de Junho de 2021

facebook_icon

Hoje: Máx 30Cº / Min 19°C

Siga a gente -

Jornal de Pomerode

Edição Impressa

icon_user

300km de superação em duas rodas

Completar o Desafio Phodax, pelo Circuito Vale Europeu, foi uma marca fundamental para o pomerodense Fabrício Wagenknecht.

31a92b340ed601967db03d213650daa6.jpeg Foto: Divulgação

Conhecer as belezas da região é um privilégio. Por isso, há alguns anos, foi criado o Circuito Vale Europeu, que compreende nove municípios - Timbó, Pomerode, Indaial, Ascurra, Apiúna, Rodeio, Benedito Novo, Doutor Pedrinho e Rio dos Cedros -, para que os amantes do cicloturismo possam desfrutar destes momentos, ao longo de cinco dias.

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
https://jornaldepomerode.com.br/novo/midia/banners/banner_808x164/3724d210f4598560aad9a3c2f442a8e3.jpg https://jornaldepomerode.com.br/novo/midia/banners/banner_808x164/ffd61332a4e29290e4edbdc12b3cf4f1.png https://jornaldepomerode.com.br/novo/midia/banners/banner_808x164/d71818c47d981bb85097e8de3648507e.jpg

 

Agora, que tal encarar um desafio, que consiste percorrer cerca de 300km e uma altimetria de 4.600 de elevação acumulada, em apenas algumas horas, num mesmo dia? Pois foi justamente isso que se propôs o atleta Fabrício Wagenknecht, ao participar do Desafio Phodax. O evento, que foi realizado no último sábado, 1º de maio, teve a largada e chegada na cidade de Timbó, passando justamente pelos municípios que compreendem o Circuito Vale Europeu.

Participando pela primeira vez de um evento voltado à modalidade endurance, o pomerodende, de 35 anos, acredita ter tido um bom desempenho. “Por ser um desafio, não houve ranking para acompanhamento, porém, como todos saíram às 6h de Timbó, acredito que tenha chegado entre os cinco primeiros, com um tempo de 14h44min”, destaca.

Para ele, participar desta “competição” foi um privilégio, pois pôde se desafiar a superar alguns limites, inclusive, impostos pela pandemia da Covid-19. “Eu e mais dois colgas andamos juntos até por volta da metade do percurso. Só que, após o km 150, comecei administrar, para que pudesse concluir a prova. Ao todo, foram 15h45min de atividades, com paradas curtas, de até 10 minutos, a fim de concluir o quanto antes. A prova, para mim, foi bastante desafiadora, afinal, estamos há mais de um ano sem competições oficiais. E por conta disso, é difícil manter-se motivado. Costumamos fazer eventos paralelos e pedaladas em companhia, mas este espírito competitivo é muito importante. E outro ponto crucial é acumular uma ‘bagagem’ para os próximos meses, pois, assim que as competições retornarem, quem estiver melhor preparado, pode sair na frente”, ressalta Wagenknecht.

 

Atleta completou o percurso em pouco menos de 15h  |  Foto: Divulgação


 

Só que o Consultor de Negócios PJ também enfrentou outras adversidades, ao longo dos 300km. “Em alguns momentos, pensei em desistir, por conta das dores no joelho. E com quase 275km, eu me vi diante de uma montanha, conhecida como Rio Cunha, onde alguns trechos apresentavam uma inclinação entre 18 e 23%. Mas, como sabia que aquele seria o último desafio do dia, segui em frente. Por isso, o sentimento que fica é de orgulho, afinal, não é qualquer um que consegue concluir uma prova como essa e não ter nenhum problema”.

O atleta iniciou no mundo da bike em 2016, de forma amadora, e logo no ano seguinte, começou a treinar semanalmente, de cinco a seis vezes, intercalados a dois dias de academia. Atualmente, ele pedala em média, 250km semanais, em treinos curtos, mas de alta intensidade. “Tudo isso só é possível graças ao apoio da Elemental Fitness e Saúde, do meu amigo Falinha; da Farmalan Farmácias; da minha parceira e esposa Suelen, que sempre está ao meu lado; e dos meus sogros, Nelson e Magrit, que me incentivaram e apoiaram durante todo o percurso. Sou muito grato a todos”, finaliza.

 



Tags: