Geral

Deputado pede desfibrilador em locais de práticas esportivas

A morte de duas pessoas, em oito dias, durante a prática de exercícios, levou o deputado estadual Djalma Berger a protocolar junto projeto de lei que torna obrigatório o uso do desfibrilador cardíaco.

18 de novembro de 2004


A morte de duas pessoas, em oito dias, durante a prática de exercícios, levou o deputado estadual Djalma Berger a protocolar junto à Assembléia Legislativa, projeto de lei que torna obrigatório o uso do aparelho desfibrilador cardíaco em estádios de futebol, ginásios de esportes e academias de exercícios físicos.


As duas mortes ocorreram em Santa Catarina. O bancário Carlos Eduardo Maggi Grazziotin, de 46 anos, no dia 8 de novembro, durante um jogo de futebol em Florianópolis. E este final de semana, Ricardo Vieira, de 22 anos, também durante uma partida de futebol. Diante de dezenas de pessoas, ele caiu. Foi levado ao hospital e não resistiu.


Apenas para lembrar, o zagueiro do São Caetano, Serginho, de 30 anos, morreu no dia 27 de outubro durante um jogo do campeonato brasileiro. Que estas fatalidades sirvam de exemplo para que todas as pessoas que praticam qualquer atividade esportiva, procurem realizar periodicamente um check-up.


Saiba que:


 – Os problemas cardiovasculares matam cerca de 300 mil brasileiros por ano, sendo que 65% destas mortes ocorrem abruptamente, o que é chamado de morte súbita.


– Jogadores amadores ou pessoas sedentárias que passam a fazer exercícios, têm um risco maior de sofrer infarte, que acontece quando falta sangue ao coração devido à obstrução ou rompimento das artérias.

Notícias relacionadas