Esporte

Uma viagem que já dura 20 anos

Cavalgada Entre Amigos completa duas décadas de muita amizade e confraternização, entre Pomerode e Rio Negrinho.

23 de julho de 2022

Foto: Divulgação

Quatro amigos pomerodenses iniciaram um “projeto”, há 20 anos, a fim de conhecer novos lugares e fazer novas amizades. E durante estas duas décadas, a iniciativa vem crescendo e se fortalecendo, mostrando que a amizade e as coisas simples da vida devem ser valorizadas.

continua após a publicidade

A Cavalgada Entre Amigos, idealizada por Alessando Engel, Dênis Piske, Peter Bruske e Cláudio Grimm perdura durante todo este período e vem atraindo novos adeptos. Trata-se de uma viagem, a cavalo, entre Pomerode e Rio Negrinho, realizada anualmente pelo Grupo de Cavaleiros Pé no Estribo.

Em 2022, o cavalgada ocorreu entre os dias 13 e 17 de julho e teve um ar bastante nostálgico. “Este ano, resolvemos reeditar o primeiro trajeto da nossa cavalgada: primeiro, de Pomerode a Alto Cedro, até a fazenda do Edson Zinke. De lá, fomos para Volta Grande; de Volta Grande para Rio Negrinho; e de Rio Negrinho fomos até a Serra Dona Francisca. Foram 180km de viagem, feitos em quatro dias, num trajeto muito gostoso, entre amigos”, destaca Engel.

continua após a publicidade

A comitiva foi formada por nove cavaleiros, um cozinheiro, um motorista e um ajudante, que foram com o caminhão de apoio.

“Todo anos, buscamos fazer um percurso diferente, a fim de conhecer novos lugares e pessoas. Antes, eu vou de carro, para falar com os proprietários das fazendas onde iremos pernoitar. Feito isso, programamos a viagem, escolhemos a data e partimos”.

Engel conta como funciona a viagem. “Saímos na quarta-feira à tarde. Durante o dia, cavalgamos, por caminhos do interior e, à noite, pousamos (dormimos) em uma fazenda, repetindo este processo até o sábado. E no último dia, domingo, retornamos a Pomerode de caminhão”.

 

Foto: Divulgação

 

O idealizador da cavalgada diz que este tipo de evento proporciona grandes aventuras e a consolidação de velhas amizades.

“Quando chegamos em Rio Negrinho, em Mafra, em São Bento do Sul, a gente sabe que vai encontrar muitos amigos. São anos de  convivência com essa turma, onde somos muito bem recebidos. Infelizmente, gostaríamos de visitar todos que conhecemos durante a cavalgada, mas não é possível. Por isso, alternamos o percurso para que possamos interagir com cada mais pessoas”.

O fundador do Grupo de Cavaleiros Pé no Estribo agradece a todos que estiveram envolvidos na viagem. “Há 20 anos, quatro amigos saíram de Pomerode, em busca de conhecer essas terras, até Rio Negrinho. E hoje, vendo esse projeto consolidado, só tenho a agradecer a todos que, durante essas duas décadas, proporcionaram vivenciar esses momentos. E que os próximos 20 anos possam ser ainda de mais amizades e confraternização”, finaliza.

 

Notícias relacionadas

Mais Lidas

Publicidade