Educação

Projeto Ribeirão Areia, nossa água, nosso mundo é desenvolvido em escola de Pomerode

Projeto aplicou conceitos aprendidos em sala de aula, na realidade do bairro da Escola Duque de Caxias

13 de março de 2022

Foto: Divulgação

A hidrografia é um dos elementos mais importantes da paisagem natural. Entretanto, os cursos d’água acabaram por sofrer uma descaracterização drástica no decorrer do processo de ocupação dos territórios, como a remoção da vegetação ciliar, canalizações, ocupação de áreas de inundação natural e por lançamento de efluentes sem tratamento. Em Pomerode, não foi diferente.

continua após a publicidade

“Com base neste cenário, o Projeto Ribeirão Areia, Nossa Água, Nosso Mundo, está sendo realizado na Escola de Educação Básica Municipal Duque de Caxias, a fim de conscientizar os estudantes e a comunidade acerca da importância do Ribeirão, bem como, a necessidade de protegê-lo e recuperá-lo, visto que em frente à escola, ele passa por um trecho canalizado e segue com suas margens sem proteção da mata ciliar, sendo cercado por residências e indústrias até a sua foz”, afirma a professora Ciências da escola e idealizadora do Projeto, Daiane Luchetta Ronchi.

A EEBM Duque de Caxias, que completou, em 2020, 50 anos de fundação, está localizada no bairro Ribeirão Areia, na sub-bacia Ribeirão Areia, em Pomerode. Ela atende cerca de 270 alunos, nas modalidades de Educação Infantil e Ensino Fundamental. Segundo Daiane, “Desde 2015, a escola desenvolve ativamente projetos que visam a sustentabilidade ambiental, recebendo inclusive, alguns prêmios de destaque pelos projetos executados. Estes projetos enfocam o reaproveitamento dos resíduos sólidos gerados pela escola”.

continua após a publicidade

No Projeto “Ribeirão Areia, Nossa Água, Nosso Mundo” está sendo desenvolvida a pesquisa de doutorado da professora Camila Grimes, acadêmica do Programa de Pós-graduação em Educação – PPGE, da Universidade Regional de Blumenau – FURB, com a colaboração da professora Daiane, bem como, com o suporte da orientadora, a Dra. Adriana Fischer e do coorientador, o Dr. Edson Schroeder. A tese de doutorado em desenvolvimento possui como título “Atividade de Estudo e o desenvolvimento do Pensamento Teórico em Práticas de Letramentos Científicos”.

“Na tese, o ensino de Ciências está sendo vinculado à Teoria Histórico-Cultural, de Vigotski, a Teoria da Atividade, de Leontiev e a Teoria do Ensino Desenvolvimental, de Davidov, autores russos que possibilitam constituir um modelo teórico que permite a análise das relações entre uma Atividade de Estudo, os processos de ensinar e de aprender em sala de aula, e o desenvolvimento do pensamento teórico dos estudantes, a construção do conhecimento, a partir de uma pesquisa em educação, baseada em cinco ações mentais”, complementa Camila.

 

Foto: Divulgação

Conhecer a História da Biodiversidade de Pomerode sobre a ótica de moradores antigos, próximos aos estudantes, é fundamental para que os educandos possam se sensibilizar para preservar a fauna e flora local. Desta forma, os estudantes entrevistaram seus parentes mais idosos sobre o histórico da biodiversidade local. Essas e outras tarefas do Projeto foram divulgadas no perfil do Instagram: @projetoribeiraoareiapomerode.

Na atividade de estudo formar uma base teórica é essencial para a construção do conhecimento. Por isso, cada estudante do 7° Ano, durante as aulas sobre a temática “Biodiversidade”, foram construindo seus Glossários Ilustrados com conceitos, definições e desenhos de forma autoral. Além disso, no desenvolvimento do projeto, as aulas interativas e dialogadas com o suporte de recursos de ensino e estratégias didáticas foram fundamentais para a formação da base teórica dos estudantes.

A Saída de Estudo na mata ciliar e no Ribeirão Areia próximo a escola foi fundamental para a análise mental do processo de internalização do conhecimento. Todos os conceitos aprendidos em sala de aula foram associados na prática. Na Saída de Estudos, os estudantes registravam tudo em foto e escrita. Ainda na análise mental do processo, os discentes tinham como tarefa observar e analisar os ambientes estudados para construir um documento digital roteirizado, intitulado “Um dia como Biólogo(a)”.

 

Foto: Divulgação

A tarefa “Um dia como Biólogo(a)” foi utilizada como base para o desenvolvimento de uma análise coletiva da turma sobre as duas áreas observadas: ÁREA I, mais conservada em relação a ÁREA II, totalmente degradada. O próximo passo da Atividade de Estudo consistiu na formação da postura teórica dos estudantes, no desenvolvimento de um debate sobre a temática Biodiversidade, com o posicionamento dos estudantes frente as situações cotidianas.

A próxima ação da Atividade de Estudo consistiu na exploração do conhecimento. Após a formação da base teórica, a análise mental do processo, a formação da postura teórica, os estudantes exploraram os seus conhecimentos na construção coletiva de um Projeto de Recuperação de duas áreas degradadas do Ribeirão Areia próximas a escola, com o plantio de mudas nativas para 2021 e o planejamento de mais ações para 2022.

Na última ação da Atividade de Estudo, o exame qualitativo dos fundamentos teóricos, os estudantes apresentaram o Seminário Final da Atividade de Estudo sobre Biodiversidade e as ações desenvolvidas na escola, para estudantes, autoridades escolares e municipais. O seminário teve o intuito de socializar as ações e reflexões coletivas dos estudantes desenvolvidas em um período de quatro meses.

EEBM Duque de Caxias abriu suas portas para a geração de dados de uma tese de doutorado, com o aval da Secretaria Municipal de Educação de Pomerode que possibilitou e colaborou com a ação, mesmo neste momento tão difícil de pandemia. A comunidade escolar viabilizou e apoiou incondicionalmente o desenvolvimento desta pesquisa, possibilitando o avanço do conhecimento na área de educação e a formação humana integral dos estudantes por meio das práticas de letramentos científicos.

Notícias relacionadas

Mais Lidas

Publicidade