Polícia

Polícia Civil finaliza inquérito policial que investigou o caso Luna

Criança foi encontrada morta no dia 14 de abril

11 de junho de 2022

Foto: Redes Sociais

No dia 10 de junho de 2022, a Delegacia de Polícia da Comarca de Timbó, apresentou ao Ministério Público, os resultados da investigação sobre a morte da menina Luna Gonçalves, de 11 anos, ocorrida em 14 de abril.

continua após a publicidade

No caso, os investigados foram indiciados pelos crimes de feminicídio, tortura e estupro de vulnerável.

Na oportunidade, a Autoridade Policial representou pela prisão preventiva de ambos os indiciados, no caso, a mãe e o padrasto da menina.

continua após a publicidade

Mais detalhes sobre o caso, serão divulgados na próxima segunda-feira, dia 13 de junho.

Relembre o caso

Luna Nathielli Bonett Gonçalves, de 11 anos, foi morta no dia 14 de abril, em Timbó, no Vale do Itajaí. A vítima foi encontrada morta na residência com sinais de violência pelo corpo.

No dia seguinte à morte, 15 de abril, a mãe e o padrasto da menina prestaram novo depoimento à Polícia Civil de Timbó. Desta vez, a mãe mudou sua versão sobre o ocorrido, confessando que matou a própria filha com chutes e socos.

A mãe e o padrasto foram chamados a depor novamente depois que a Polícia teve acesso ao resultado da perícia. O laudo concluiu que a criança tinha lesões que não poderiam ter sido causadas por uma queda de escada, o que foi alegado pelo casal no primeiro depoimento. Quando confrontados sobre a primeira versão, a mulher confessou ter matado a filha.

De acordo com o laudo médico, a menina apresentava diversas lesões e contusões no crânio, baço, pulmão, alças intestinais e também lacerações na vagina.

A criança também apresentava lesões e contusões no rosto, pernas, braços e na região torácica. Na casa, a perícia constatou que havia marcas de sangue próximo ao quarto da garota e no sofá, em uma fronha e em uma calça masculina.

O laudo final apontou que Luna sofreu politraumatismo.

Notícias relacionadas

Mais Lidas

Publicidade