Educação

O jornalismo praticado por jovens, dentro da sala de aula

Escola estadual Erwin Curt Teichmann promove projeto envolvendo linguagem jornalística

28 de maio de 2022

Foto: Bob Gonçalves / Jornal de Pomerode

Conhecer um pouco do mundo do jornalismo, através das aulas de português. Um projeto da Escola Erwin Curt Teichmann, em Testo Central, tem como objetivo estimular a leitura e a parte gramatical através do mundo das notícias.

continua após a publicidade

A disciplina Linguagem no campo jornalístico-midiático é desenvolvida com os alunos do primeiro ano do Ensino Médio da escola. O professor responsável é Antônio Bambino, que leciona língua portuguesa, aos estudantes da Erwin.

Após uma pesquisa com os alunos, de atividades propostas para serem realizadas durante o ano, esta foi escolhida para ganhar continuidade, já que envolve meios digitais e redes sociais. De acordo com Bambino, é a primeira vez que esse trabalho está sendo feito. São duas aulas por semana e as atividades são práticas.

continua após a publicidade

“Conhecemos os diversos gêneros jornalísticos e eu, como professor de português, já tive bastante contato com isso. E, eu acabo interagindo para saber mais e poder passar para esses alunos. Nosso objetivo é incentivá-los a produzirem o próprio material, para estimular a leitura, escrita e gramática”, comenta o professor.

Ainda, de acordo com Bambino, foi feito um perfil no Instagram para que os alunos pudessem divulgar os seus trabalhos, de forma pública. Toda produção é feita pelos estudantes e tem a revisão final do professor. Além de promover e difundir com mais profundidade a questão gramatical e literária, a disciplina ensina questões éticas, principalmente relacionadas à citação de fontes e créditos de fotografias.

“Isso é uma parte muito importante, pois é necessário mostrar que o correto é sempre referenciar. E isso eles irão levar para a vida, pois, em trabalhos acadêmicos, na faculdade, é necessário citar fontes para não cair em plágio. E eles aprendem essas questões éticas para evitar problemas futuros com referências não citadas”, complementa.

O professor comenta que a aceitação da aula é muito boa e que os alunos estão empolgados com o tema.

“No começo, eles estavam um pouco tímidos e com pouca animação. Mas, conforme fomos indo, o interesse também começou a vir. Quando falei que o pessoal do JP entrou em contato comigo para fazer uma matéria sobre o projeto, eles ficaram ansiosos e sorridentes. É uma disciplina que vai muito além da língua portuguesa, afinal, isso ajudará a redigir trabalhos melhores, daqui para frente, nas mais diversas matérias. Também me sinto muito feliz e gratificado pelo retorno positivo dos jovens”, finaliza.

Notícias relacionadas

Mais Lidas

Publicidade