Quinta-Feira, 02 de Abril de 2020

facebook_icon

Hoje: Máx 30Cº / Min 19°C

Siga a gente -

Jornal de Pomerode

Edição Impressa

icon_user

Zoo Pomerode será autossuficiente em produção energética

O sistema fotovoltaico está em implantação e deve ser inaugurado em meados de abril

fd4ea7a54ea132c7966f57cdb241e586.jpeg Foto: Raphael Carrasco/JP

Não é novidade que o Zoo Pomerode está passando por uma ampliação e vai triplicar de tamanho nos próximos anos. Mas nem todos sabem que, além disso, o parque caminha para se tornar autossuficiente em produção energética. A instalação das cerca de 700 placas de energia fotovoltaica já iniciou e deve ser concluída nas próximas semanas. "Tínhamos a previsão de finalizar essa parte do trabalho até no dia 15 de fevereiro, porém, houve um atraso por conta dos vários dias de chuva registrados no fim de janeiro e início de fevereiro", explica o administrador do Zoo Pomerode, Maurício Bruns.

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
https://jornaldepomerode.com.br/novo/midia/banners/banner_808x164/da5766e97c60e8759e4c3acec5c7284a.jpg

 

Mesmo com o contratempo a usina fotovoltaica deve estar em funcionamento até, no máximo, meados de abril. A estrutura está sendo montada no estacionamento e também funcionará como cobertura para as vagas que abrigam os automóveis. "Além da economia gerada pela autossuficiência energética, seremos capazes de proporcionar mais conforto aos visitantes".

A iniciativa foi incorporada ao projeto de ampliação e deve resultar em benefícios para diversas áreas. "Do ponto de vista econômico temos a expectativa de reduzir 90% dos gastos em nossa fatura de energia. Atualmente o custo mensal com ela supera os R$ 20 mil, se conseguirmos reduzi-lo para R$ 2 mil estará ótimo".

Além de ser suficiente para suprir toda a demanda do Zoo, a produção inicial deve superar essa necessidade em 15%. Além disso, Maurício esclarece ter havido um adendo ao projeto, elevando em mais 11,73% esse percentual. "Os inversores que possuímos também são muito potentes. Futuramente, se em algum momento o parque crescer a ponto de utilizar toda a energia remanescente, esses mais de 26% a serem produzidos além de nossa necessidade atual, ainda dispomos de mais 12 mil metros quadrados para a ampliação do sistema".

O cálculo é de que o investimento, que ultrapassa R$ 1 milhão, se pague em pouco mais de cinco anos. "A grande vantagem é produzir energia através de um sistema de baixo impacto ambiental e renovável. Isso enaltece nosso trabalho como fundação que defende a preservação ambiental" comenta Maurício Bruns, administrador do Zoo Pomerode.

 

Quer receber as notícias de Pomerode e região pelo WhatsApp? Clique aqui.