Segunda-Feira, 30 de Novembro de 2020

facebook_icon

Hoje: Máx 30Cº / Min 19°C

Siga a gente -

Jornal de Pomerode

Edição Impressa

icon_user

Serenata repleta de amor

Projeto Sorriso leva carinho aos idosos do Pommernheim, ainda à distância e à moda antiga

c9e7374ee1c98f468cf12081272c3fad.jpg Foto: Divulgação / Projeto Sorriso

Já são cerca de sete meses de enfrentamento à pandemia do novo coronavírus, adotando medidas de higiene e cuidado pessoal, bem como de distanciamento social, principalmente para os integrantes dos grupos de risco para a doença, como os idosos, por exemplo. 

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
https://jornaldepomerode.com.br/novo/midia/banners/banner_808x164/d71818c47d981bb85097e8de3648507e.jpg https://jornaldepomerode.com.br/novo/midia/banners/banner_808x164/084e77132dfa93c29b44631e150d4333.jpg https://jornaldepomerode.com.br/novo/midia/banners/banner_808x164/ffd61332a4e29290e4edbdc12b3cf4f1.png

 

O Centro de Convivência Pommernheim é o local acolhe idosos em Pomerode e, devido ao risco de contágio pelo novo coronavírus, suspendeu as visitas, como medida de segurança. O grupo voluntário Projeto Sorriso, que realizava visitas ao local para levar alegria aos idosos residentes no Centro, não pode mais transmitir o seu carinho e há meses não podia mais visitar os idosos.

Mas, no sábado, 17 de outubro, houve o reencontro, de uma maneira um tanto diferente. Um grupo de nove voluntários se reuniu em frente ao portão da entidade e promoveu uma serenata aos idosos, com o objetivo de transmitir carinho a eles. “A ideia surgiu há algum tempo já e começamos a amadurecer a mesma. Entramos em contato com a Coordenadora do Pommernheim, a qual foi muito receptiva, mas ainda não poderíamos dar sequência pois não era seguro, mesmo que o grupo ficasse concentrado no portão, até que recebemos carta branca”, afirma a coordenadora do Projeto Sorriso em Pomerode, Tânia Luize Weh.

 

Então, o grupo solicitou à coordenação uma lista de músicas escolhidas pelos idosos, para que fosse do agrado deles. Com a lista em mãos, os voluntários partiram para a preparação para a apresentação. “Não somos profissionais no canto, nem é necessário. Antes de sermos cantores somos ‘palhaços’. Ninguém precisava se preparar para um espetáculo, nosso objetivo era de estarmos próximos deles fazendo algo que fosse bom”, ressalta Tânia.

O repertório passado na lista entregue aos voluntários do Projeto Sorriso continha 13 músicas, a maioria delas antiga, com clássicos que marcaram época como Moreninha Linda, Beijinho Doce, Chico Mineiro, Pinga ni mim e algumas religiosas. Destas, foram selecionadas sets músicas, animadas, finalizando com Oração Pela Família, de Padre Zézinho. 

“A experiência foi maravilhosa, a ansiedade era constante pela saudade que rondava os voluntários. Todos estavam super animados. No sábado, conforme iam trazendo os ‘opas’ e ‘omas’ até o pátio, a alegria em revê-los, mesmo que de longe era visível nos nossos olhos. O sorriso, o olhar, a curiosidade deles em saber o que iria acontecer ali. O coração dos Voluntários se enchia de mais e mais carinho por eles e nossos olhos e os deles brilhavam. Isso é uma sensação incrível. Reciprocidade é a palavra que define”, enaltece a coordenadora do Projeto Sorriso.

A ideia deu tão certo que o grupo já pensa em repetir a experiência em outras oportunidades. Segundo Tânia, com o resultado positivo, os próprios idosos pediram para o grupo retornar, e o Projeto Sorriso está agendando a próxima serenata, na qual estarão presentes, também, as equipes que realizam visitas no Hospital, integrando assim todo o grupo e dando a oportunidade a todos.

 

“É tão gostosa essa interação que não vemos a hora de repetir a dose. Quando participamos de projetos em equipes criamos vínculos e sentimos imensa falta do trabalho, do convívio e empatia entre nós. A chance de realizar essa serenata oportunizou essa reaproximação que é muito importante para a saúde do Projeto Sorriso”, acrescenta Tânia.

Por fim, a coordenadora agradece aos “doutores” que participaram da serenata (Dr’s. Corujinha, Lalá, Sussi, Kleine Poba, Rapunzel, Quiriri, Manteiguinha, Naninha e Dr. Espingarda) e deixa um recado sobre a importância do voluntariado também para quem o pratica.

“Projeto Sorriso é isso, uma pitada de boa vontade acrescida de muita alegria e amor na figura do Clown. Assim se faz o Doutor Palhaço, uma figura que distribui alegria e colhe sorrisos. Tire um tempo para fazer o bem. Não importa a quem for, pode ser um familiar, um vizinho, um amigo, um conhecido, colega de trabalho. Você sempre encontrará alguém que precise de atenção, seja material, emocional ou espiritual. Seja a diferença, nesse tempo de pandemia tem muita gente precisando do seu olhar e perceberá que a alegria que florescerá em seu coração pelo bem praticado será seu maior pagamento”, finaliza.