Quarta-Feira, 27 de Maio de 2020

facebook_icon

Hoje: Máx 30Cº / Min 19°C

Siga a gente -

Jornal de Pomerode

Edição Impressa

icon_user

Saiba como está a situação das barragens e reservatórios de Rio dos Cedros

Jornal de Pomerode entrou em contato com a Celesc para saber o quanto a estiagem está afetando no local

e73a9ea1155ba061045c6354f03a2818.jpg Foto: Redes Sociais

A estiagem que vem atingindo não só a região mas também como Santa Catarina, traz preocupações em relação ao abastecimento de água por todo o estado.

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
https://jornaldepomerode.com.br/novo/midia/banners/banner_808x164/da5766e97c60e8759e4c3acec5c7284a.jpg

 

Dados do quarto Boletim Hidrometeorológico Integrado apontam que pelo menos 222 cidades apresentam problemas no abastecimento público, devido à situação de estiagem que se prolonga no estado. O estudo coordenado pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável em parceria com a Defesa Civil de Santa Catarina fez um levantamento em 270 municípios.

Com base nisto, o Jornal de Pomerode entrou em contato com a Celesc para saber como está situação atual das usinas, barragens e reservatórios de água de Rio dos Cedros, município vizinho de Pomerode, que também é bastante frequentado pelos pomerodenses, principalmente a região de Palmeiras.

Conversamos com o Diretor de Geração Transmissão e Novos Negócios da Celesc, Pablo Cupani Carena. Ele primeiramente comenta sobre o quanto esta estiagem está afetando no local.

“Pode-se perceber que a estiagem na região afetou e ainda afeta os níveis de água nos reservatórios e consequentemente a geração de energia elétrica, visto na usina Palmeiras. Neste ano de 2020, a Celesc Geração registra os menores valores de geração de energia elétrica de seu histórico recente”, explica.

No município de Rio dos Cedros, a Celesc Geração conta com duas usinas, a usina Cedros e a usina Palmeiras. Cada uma conta com um reservatório de acumulação de água, respectivamente Reservatório do Pinhal e Reservatório do Rio Bonito com capacidades 18.000.000 m³ e 32.000.000 m³ de armazenamento de água. Em relação às pessoas atendidas pela energia elétrica gerada pelas usinas, como o sistema elétrico é interligado, grande parte desta energia é normalmente destinada aos municípios de Rio dos Cedros e Timbó.

“No Reservatório do Pinhal, Estamos com 1,32m acima do nível mínimo e com nível considerado estável nesta situação de comporta e estiagem, incremento de 1cm por dia. Em relação à Usina Palmeiras, neste mês de maio, a geração está em torno de 37% de sua capacidade.  Analisando o Reservatório do Rio Bonito, hoje está com nível de água em 634,10 metros, sendo 632,34 m o nível mínimo e 639,34m o nível máximo de operação. Estamos com 1,76m acima do nível mínimo e com nível considerado estável nesta situação de comporta e estiagem, com decremento de 10cm por dia”, relata o Diretor.

Em relação à possível queda de produção de energia, Carena fez questão de tranquilizar os consumidores.

“Os consumidores da região e da Celesc Distribuição podem ficar tranquilos com relação ao fornecimento de energia elétrica, visto que o sistema elétrico brasileiro é interligado, composto por usinas de todas as regiões do Brasil e está bem estruturado para passar por este período de estiagem da região Sul. Ou seja, não há risco de desabastecimento de energia elétrica porque mesmo com baixa geração aqui no Estado, o sistema pode transmitir e distribuir a energia gerada em outras regiões do Brasil”, comenta.

Previsão

Para os próximos 15 dias, não se observa uma distribuição de chuva adequada e suficiente para normalizar o abastecimento urbano em um curto prazo. O que indica, tendo em vista os níveis baixos dos rios, a continuidade prolongada da estiagem no estado.