Terca-Feira, 21 de Setembro de 2021

facebook_icon

Hoje: Máx 30Cº / Min 19°C

Siga a gente -

Jornal de Pomerode

Edição Impressa

icon_user

Pomerodense conclui curso para instrutor de Boxe

Formação foi dividida em três módulos, concluídos ao longo de 2021.

546652a3dca4f1c2751b54e8031e1320.jpg Foto: -Taylor completou as 50h de curso, com sucesso (Divulgação)

Buscar o profissionalismo é primordial, dentro das modalidades, para que elas possam ser propagadas da melhor maneira possível, a um número cada vez maior de pessoas. Dentro deste contexto, o pomerodense Taylor Rita, amante das artes marciais, subiu mais um degrau rumo a esta condição.

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
https://jornaldepomerode.com.br/novo/midia/banners/banner_808x164/d71818c47d981bb85097e8de3648507e.jpg https://jornaldepomerode.com.br/novo/midia/banners/banner_808x164/ffd61332a4e29290e4edbdc12b3cf4f1.png https://jornaldepomerode.com.br/novo/midia/banners/banner_808x164/1c7731845aff525f30b91045a8aa2e55.jpg

 

No fim de semana, o atleta concluiu o Curso de Formação de Instrutores de Boxe 2021, promovido pela Federação Catarinense de Boxe (Fecaboxe), filiado à Confederação Brasileira de Boxe (CBB). “O curso foi dividido em três módulos. No primeiro, finalizado em janeiro, estudamos os deveres do técnico, a estrutura básica de uma academia boxe e as técnicas básicas. Já o segundo módulo, ocorrido em abril, explanou sobre a parte de rendimento e a parte teórica. E o terceiro e último, concluído em 18 de julho, foi voltado para o manuseio de equipamentos e corner. Ao todo, foram 50h de altos conhecimentos”, ressalta Rita.

 

Foto: Divulgação


 

O curso, voltado totalmente para treinadores, permite que o instrutor possa colocar alunos em competições regionais federadas, como os Jogos Abertos de Santa Catarina. “Meu envolvimento com o Boxe iniciou no ano passado, quando ainda trabalhava em uma empresa. Uma pessoa me procurou, pois tinha o interesse de ter aulas de Artes Marciais, e como estávamos no auge da pandemia, não poderia ser um esporte com muito contato, como o Jiu-Jitsu. Ele queria algo que envolvesse socos (risos). Então, como já havia feito aulas de Kickboxing, no passado, além de Karatê, quando criança, eu tinha uma noção básica. Mas eu não me sentia preparado para dar aula, por isso comecei a fazer aulas de Boxe, em Blumenau. Paralelamente, me inscrevi neste curso, para que eu pudesse me filiar à Fecaboxe. Hoje, praticamente, só trabalho com as Artes Marciais e musculação, ou seja, está sendo de grande valia finalizar os três módulos”.

 

Foto: Divulgação


Com a conclusão de mais esta graduação, Rita pretende propagar não somente o Boxe, em Pomerode, mas sim, a Arte Marcial em si. “Muitos veem apenas como uma modalidade competitiva. Entretanto, a maioria dos meus alunos busca uma melhor qualidade de vida, conseguindo isso através das Artes Marciais. Tanto que pretendo continuar fazendo cursos, principalmente, voltado ao Jiu-Jitsu na área infantil. Inclusive, fiz um no ano passado, o que me ajudou muito”.

Inclusive, o instrutor já realizou trabalhos, com 33 crianças, em 2020. “Fiz meu TCC, avaliando as valências físicas relacionadas a saúde. Temos sempre muito apoios dos alunos pais e amigos. A Arte Marcial é um esporte muito democrático, voltado para todos, indiferente de idade ou tipo físico. E para quem não gosta dos treinamentos convencionais, é uma ótima opção”, finaliza.

 



Tags: