Terca-Feira, 21 de Setembro de 2021

facebook_icon

Hoje: Máx 30Cº / Min 19°C

Siga a gente -

Jornal de Pomerode

Edição Impressa

icon_user

Para um Dia dos Pais mais generoso

Campanha Compre e Doe chega a mais uma edição, beneficiando a Casa da Solidariedade

9ad6b55cee14bf7dfae07fe3454617c9.jpg Foto: Divulgação

Dia dos Pais está chegando e para comemorar esta data de maneira solidária, mais uma edição da Campanha Compre Doe será realizada. A iniciativa já beneficiou nesta pandemia mais de 150 pessoas de instituições sociais que atendem residentes de Pomerode e região. Esta será a segunda vez que a ação é realizada durante o mês dos pais e desta vez será voltada à Casa da Solidariedade, instituição social que reabilita homens com dependências químicas.

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
https://jornaldepomerode.com.br/novo/midia/banners/banner_808x164/2500e3167faaf7d97431be7626697914.jpeg https://jornaldepomerode.com.br/novo/midia/banners/banner_808x164/ffd61332a4e29290e4edbdc12b3cf4f1.png

 

De acordo com Marco Antônio Marques Godoy - Presidente Interino, “Os principais objetivos hoje são a busca pelo apoio do poder público municipal, das empresas e de pessoas físicas na arrecadação de recursos para a manutenção básica dos trabalhos e da infraestrutura; e a luta incessante pela quitação de obrigações antigas, surgidas nas administrações anteriores. Toda ajuda da comunidade é bem-vinda.”

Segundo Mariana Zilli Calabresi Madi, coordenadora da iniciativa, em cada edição algo novo acontece. “Desta vez, buscamos uma instituição de Pomerode que atende homens, muitos deles pais, que estão isolados para tratamento de saúde. Assim como todos os seres humanos, merecem ser olhados com atenção e zelo.

Outra novidade será a participação de jovens na arrecadação das doações, o que nos impulsiona a acreditar cada vez mais na importância de sermos exemplos e intermediadores para um futuro melhor. Acredito que oportunizar esta ação será um presente para todos os envolvidos!”
Segundo a professora Adriana Suckow Albach Stange, nova voluntária da campanha, fazer parte deste tipo de ação é uma forma de fortalecimento emocional.

“Ver várias pessoas envolvidas neste gesto ao próximo, faz com que repensemos nosso real lugar na sociedade, onde todos precisamos uns dos outros em algum momento. E é neste ‘lugar comum’, da coletividade, que encontramos motivação para seguir em frente, ora ajudando, ora sendo ajudado. Neste mesmo sentimento, os alunos do 9º ano do Colégio Sinodal Doutor Blumenau participam da Campanha nesta edição. Após várias palestras e debates sobre voluntariado em nossa ‘matéria’ socioemocional, a turma quer protagonizar trazendo doações e incentivando outros colegas, amigos e familiares a fazerem o mesmo”. 

“Colocar-se em ação para contribuir para o bem-estar e melhoria dessas pessoas impacta positivamente tanto em nível individual quanto coletivo. É interessante compreender que fazemos parte de uma sociedade, assim como as células compõem um organismo vivo. Cooperação e interação são fundamentais para que o organismo funcione bem”, acrescenta Taís Cugola Coelho Pereira, que também é voluntária na ação social.

Para a realização da Campanha, a instituição beneficiada aponta as necessidades e os organizadores vão atrás das doações. Uma das formas para ajudá-los será através da venda dos pijamas lúdicos Dia dos Pais, disponíveis para compra na Uni Dune Te e na Loja Central, cuja parte da venda será revertida para a compra do que nos foi sugerido pelo coordenador da Casa da Solidariedade. Também haverá pontos de coleta para aqueles que quiserem contribuir doando alguns destes itens. As caixas estarão na Loja Central, Uni Dune Te, Qualicopy, Germania Organização Contábil e Colégio Doutor Blumenau até o dia 15 de agosto.

“Tudo é bem-vindo e ficamos muitos felizes com o envolvimento de mais pessoas! Nos sensibilizados com todas as campanhas já feitas, pois poder ajudar o próximo, nos faz acreditar que, de ajuda em ajuda, doação em doação, tornaremos nossa sociedade mais justa e feliz! Então, vamos lá para mais uma campanha?”, propõe Mariana.