Domingo, 27 de Setembro de 2020

facebook_icon

Hoje: Máx 30Cº / Min 19°C

Siga a gente -

Jornal de Pomerode

Edição Impressa

icon_user

Os precursores da Pomerana

Eugênio Zimmer, ex-prefeito, e Francisco Canola Teixeira, tiveram papeis importantes na criação da Festa Pomerana e no incentivo ao turismo pomerodense

49617e9d13571d6f6ca86a43d37b634a.jpg Foto: -Eugênio Zimmer, prefeito de Pomerode no ano da realização da 1ª Festa PomeranaArquivo pessoal

Na próxima quarta-feira, 15 de janeiro, terá início a 37ª edição da Festa Pomerana, evento que celebra a tradição herdada dos colonizadores. A festa teve a sua primeira edição no ano de 1984 e o objetivo era comemorar os 25 anos de emancipação político-administrativa de Pomerode, completos naquele ano.

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
https://jornaldepomerode.com.br/novo/midia/banners/banner_808x164/084e77132dfa93c29b44631e150d4333.jpg

 

A primeira edição da Festa Pomerana foi realizada nas dependências da Sociedade Esportiva Floresta, além de eventos integrantes da programação na Praça Jorge Lacerda, Recanto da Cachoeira e Sociedade Esportiva, Recreativa e Cultural Ipiranga. Entre as atrações, podemos citar a Exposição Industrial de Pomerode, promovida pela Associação Comercial e Industrial de Pomerode (Acip), concurso culinário, exposição de artesanato, apresentações musicais e culturais. 

A organização desta histórica primeira edição foi encabeçada pelo então prefeito de Pomerode, Eugênio Zimmer (1983-1988), mais conhecido como China. Além de Zimmer, outra figura que também teve papel fundamental na criação do evento foi o ex-secretário de Turismo, Francisco Canola Teixeira. Quem chega ao Parque Municipal de Eventos já reconhece este nome, pois é o mesmo do complexo onde é realizado, anualmente, o evento.

Por mais que tenha sido uma figura importante na história do município, por ter participado da idealização da Festa Pomerana, Francisco Canola Teixeira ainda é pouco mencionado na cidade e há quem se pergunte quem foi a pessoa que dá o nome ao Parque de Eventos. Além de ter sido fundamental na organização da primeira festa, Teixeira também participou de realizações importantes, como, por exemplo, ter sido o autor do reconhecimento de Pomerode com o título de “Cidade Mais Alemã do Brasil”, além de ter sido um batalhador em prol do desenvolvimento do turismo em nossa cidade.

 

Francisco acompanhado dos então deputados estaduais, Gilmar Knaesel e Udo Wagner, em uma Festa Pomerana. (Foto: Pomeroder Zeitung)

Teixeira iniciou seus trabalhos junto à Prefeitura Municipal de Pomerode em maio de 1983, tendo atuado em diversos cargos e funções relacionadas ao turismo. Por este motivo, foi criado o Projeto de Lei nº 255/2014, de autoria do Executivo, que denomina o Complexo de Esportes e Lazer Francisco Canola Teixeira, projeto este que foi aprovado, por unanimidade, neste mesmo ano. 

No documento consta que foi incessante batalhador em prol do turismo pomerodense, ocupou entre outros cargos, o cargo de Secretário de Turismo. Consta que sua determinação e competência foram reconhecidas por outras cidades onde também atuou à frente da Secretaria de Turismo.

 

Francisco Canola Teixeira faleceu em 26 de fevereiro de 2007, mas deixou um legado de conhecimentos que sempre servirão de base para o aperfeiçoamento e propagação do turismo de Pomerode para o mundo.

Quem atuou de forma próxima a Teixeira tece elogios à forma como atuou em prol do desenvolvimento do setor na cidade. Márcia Morsch trabalhou com Francisco Canola Teixeira na Secretaria de Turismo, entre os anos de 1985 e 1989, e afirma que o ex-secretário foi um exemplo para Pomerode.

“Ele ‘vestiu a camisa’ e divulgou o nome de Pomerode Brasil afora. Mas nesse caminho, enfrentou muitas dificuldades, porém, sem nunca desistir. Francisco Canola sempre buscou verbas para participar de eventos de divulgação em outros estados, para levar o nome de nossa cidade, isso porque ele acreditava que Pomerode tinha coisas importantes, que tinham potencial na área do turismo”, afirma Márcia.

 

Francisco era conhecido pela felicidade com que fazia seu trabalho. (Foto: Arquivo Biblioteca Municipal de Pomerode)

Para ela, Francisco Canola é uma pessoa que merece ser lembrada e respeitada na cidade, pelo trabalho que desempenhou. “O ‘Chico’ deixou saudades, com certeza, porque o turismo em nosso município só cresceu, porque ele acreditou em Pomerode. Hoje, eu tenho muita saudade dele e acho que foi bastante esquecido. Acredito que o pomerodense deveria valorizar mais o que ele fez, pois foi um dos primeiros que acreditou. Já existe a homenagem, com o nome do Parque, mas merecia muito mais”, defende Márcia.

A colega de trabalho na Secretaria também destaca o ser humano que era Francisco Canola Teixeira, uma pessoas alegre, que contagiava o ambiente ao seu redor. “Ele era uma ótima pessoa, sempre de bom humor, tudo para ele era bom, sempre estava feliz. Para ele não existiam obstáculos, ele sempre lutava, ia atrás do que acreditava. Graças ao trabalho do Francisco, Pomerode é o que é”, finaliza.

 

Quer ser o primeiro a receber as notícias de Pomerode e região pelo WhatsApp? Clique aqui.

 



Galeria de fotos: 1 fotos
Créditos: Jornal de Pomerode
Tags: