Sábado, 11 de Julho de 2020

facebook_icon

Hoje: Máx 30Cº / Min 19°C

Siga a gente -

Jornal de Pomerode

Edição Impressa

icon_user

Oportunidade em solo alemão

Pomerodense inicia carreira profissional em universidade da Alemanha

05cd4817c45d7eacfb13f757bf6b6939.jpg Foto: Arquivo pessoal

Viajar ao exterior é um sonho para muitas pessoas, assim como residir em um outro país. É isto que está conseguindo a pomerodense Pamela Rafela Jandre, de 20 anos, que está cursando administração na Universidade de Köln, desde 2018, e que também trabalha na instituição, no departamento responsável pelos alunos estrangeiros (International Office).

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
https://jornaldepomerode.com.br/novo/midia/banners/banner_808x164/da5766e97c60e8759e4c3acec5c7284a.jpg https://jornaldepomerode.com.br/novo/midia/banners/banner_808x164/b6557b3fc353d86e08085bfc422c0203.jpg https://jornaldepomerode.com.br/novo/midia/banners/banner_808x164/844d34f46b27043d5f0efe1b05cd10ee.jpg https://jornaldepomerode.com.br/novo/midia/banners/banner_808x164/9e2bb169f004a4f2d858e03c1e0721a4.jpg https://jornaldepomerode.com.br/novo/midia/banners/banner_808x164/df6a593e901dc2117f843d0d51547b2b.jpg https://jornaldepomerode.com.br/novo/midia/banners/banner_808x164/3730a24a8ad50f80c34938eede4f4b62.jpg https://jornaldepomerode.com.br/novo/midia/banners/banner_808x164/11752a1d8ad555efd6528e9dbc32b017.jpg

 

“Desde pequena, sempre sonhei em morar fora do Brasil, mas foi na minha segunda visita à Alemanha, em julho de 2015, que comecei a concretizar a ideia de estudar aqui. O fato de o alemão ser a minha segunda língua materna, somado à qualidade do ensino superior, foram fatores que influenciaram muito a minha decisão de escolher a Alemanha. Inclusive, ao embarcar de volta ao Brasil, no fim do intercâmbio, em julho de 2015, me lembro de ter pensado que, da próxima vez que eu retornasse à Alemanha, seria para ficar”, conta a estudante. 

A oportunidade de trabalhar na universidade surgiu no mês de maio deste ano, através de um convite da própria universidade. “Posso dizer que fiquei extremamente feliz com o convite e que sou muito grata pela oportunidade que me foi dada”, revela Pamela.

 

Atualmente, a sua principal função na universidade é trabalhar na expansão de um projeto dedicado à integração dos estudantes estrangeiros, tanto na universidade, quanto na Alemanha, focando na integração dos refugiados. Além disso, Pamela trabalha, também, em uma empresa de análise de dados de mídias e redes sociais, além de estudar na universidade. 

Entre as diferenças do ensino superior no Brasil e na Alemanha, a estudante cita duas principais: o modo como são organizadas as aulas e o relacionamento entre professores e estudantes, muito mais formal na Alemanha. No caso da primeira diferença, para cada matéria do curso, os alunos têm, geralmente, três formatos diferentes de aula, mas também pode variar entre outros tipos. 

Pamela foi aluna do Colégio Sinodal Doutor Blumenau e teve o estudo preparatório para o diploma DSD II (Deutsches Sprachdiplom II), que garante diversas oportunidades na Alemanha. Por isso, ela incentiva o estudo do idioma. 

“Como alguém que já passou por isso, posso dizer que não foi um processo fácil, mas quero encorajar todos os atuais alunos que estudam alemão a não desistirem. No meu caso, foram e continuam sendo necessários muita determinação, força de vontade e muito estudo, para que eu chegasse até onde estou hoje. Além de ser um grande diferencial no currículo, o idioma abre portas para oportunidades únicas, como estudar e morar fora e a chance de conhecer muitas pessoas. Gostaria, também, de aproveitar a presente oportunidade para agradecer às pessoas próximas a mim que me apoiam, pois isso foi e continua sendo algo muito importante. E, para finalizar, deixo aqui o meu conselho: continuem aprendendo alemão. Es lohnt sich(vale a pena)”, declara.