Sexta-Feira, 25 de Junho de 2021

facebook_icon

Hoje: Máx 30Cº / Min 19°C

Siga a gente -

Jornal de Pomerode

Edição Impressa

icon_user

Médica de Pomerode é investigada por atuar em outro estado durante licença de saúde

A investigada apresentou atestados médicos justificando seu afastamento por problemas de saúde.

861f6079939d75783a7b3579e88109dc.jpg Foto: Freepix

A 1ª Promotoria de Justiça de Pomerode abriu um Inquérito Civil com o objetivo de apurar um possível ato de improbidade administrativa de uma médica efetiva da cidade. De acordo com a denúncia, feita pela administração municipal, Marcela Mendonça Silva estava trabalhando no estado de Pernambuco, no mesmo momento em estava de licença remunerada em Pomerode. As informações foram divulgadas pelo portal de notícias O Município Blumenau e também no Diário Oficial do MPSC.

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
https://jornaldepomerode.com.br/novo/midia/banners/banner_808x164/2edbf97c4ed2488011199c38854cd348.jpg https://jornaldepomerode.com.br/novo/midia/banners/banner_808x164/ffd61332a4e29290e4edbdc12b3cf4f1.png

 

Ela atuava como médica do trabalho na Secretaria de Gestão Administrativa e Fazendária em uma carga horária de 20 horas por semana.  Segundo dados que constam na Notícia de Fato do Ministério Público – procedimento que antecede o Inquérito Civil – ela se afastou do trabalho no município a partir de julho de 2020.

A investigada apresentou atestados médicos justificando seu afastamento por problemas de saúde. Naquela ocasião, ela solicitou licença para tratamento um e auxílio-doença.

Porém, foi descoberto que no período de seu afastamento, enquanto recebia normalmente sua remuneração, a funcionária pública estava atuando como médica perita em diversas ações judiciais em Recife, para o Poder Judiciário de Pernambuco.

Neste período,  a Prefeitura de Pomerode teve que arcar com mais gastos, já que houve a contratação de outra médica para exercer as funções de Marcela, devido às licenças obtidas.

Ainda de acordo com a Notícia de Fato, quando questionada pela administração municipal de Pomerode, a médica optou por pedir sua exoneração. Diante deste fato, o MP-SC instaurou o inquérito.

Com informações do O Município Blumenau