Quinta-Feira, 13 de Maio de 2021

facebook_icon

Hoje: Máx 30Cº / Min 19°C

Siga a gente -

Jornal de Pomerode

Edição Impressa

icon_user

Mantendo a mente “em dia”

Por conta da Covid-19, treinos do Xadrez de Pomerode precisaram ser adaptados à nova realidade.

e9a94d78706f19f42db29870eb16c90b.jpg Foto: Divulgação

“O Xadrez é muita ciência para ser jogo e muito jogo para ser ciência”. A frase, dita pelo filósofo francês Michel de Montaigne, no século XVI, é perpetuada pelo coordenador da modalidade em Pomerode, Heidy Almeida. No entanto, neste tempo de pandemia, unir jogo e ciência está sendo um pouco complicado, pelas restrições impostas.

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
https://jornaldepomerode.com.br/novo/midia/banners/banner_808x164/d71818c47d981bb85097e8de3648507e.jpg https://jornaldepomerode.com.br/novo/midia/banners/banner_808x164/ffd61332a4e29290e4edbdc12b3cf4f1.png https://jornaldepomerode.com.br/novo/midia/banners/banner_808x164/590ba0e0c707d8dd9fc3b49b5975c7c0.jpg

 

Mesmo diante das dificuldades, o esporte manteve as atividades, em nosso município. “Ficamos muito tempo ministrando aulas on-line, mas agora, com o novo decreto, estamos dentro das modalidades individuais com pouco contato. No rendimento, estamos adotando, basicamente, as mesmas medidas de segurança das escolas, com a utilização de máscara, distanciamento, grupos de estudos, turmas reduzidas, álcool em gel e higienização das salas de treinamento”, ressalta Almeida.

Mesmo mantendo as atividades, a pandemia vem trazendo prejuízos para o esporte, como um todo. Tanto que, no rendimento, as atividades acontecem três vezes por semana, em grupos separados. Já nas escolas, de uma a duas vezes por semana, sempre respeitando turmas de ensino.

 

Foto: Divulgação


 

 “Os treinos ficam prejudicados, acho que para o esporte como um todo, principalmente, na iniciação, que é a que mais sofre. As crianças precisam desse contato com os professores e atletas mais experientes. Primeiro, pela questão pedagógica, onde o mais novo aprende com o mais experiente; e segundo, pela motivação, afinal, o professor está ali, a todo momento, lembrando da importância do estudo, do treinamento.

As competições também foram bastante prejudicadas. “Participamos de eventos antes de a Matriz de Risco, em nossa região, voltar para o estado Gravíssimo. De lá para cá, paramos tudo e, mesmo algumas competições presencias terem sido realizadas, preferimos não participar, por enquanto”, finaliza o professor.

 



Tags: