Terca-Feira, 13 de Abril de 2021

facebook_icon

Hoje: Máx 30Cº / Min 19°C

Siga a gente -

Jornal de Pomerode

Edição Impressa

icon_user

Furb finaliza projeto para o parque ambiental de Pomerode

A idealização é fruto de convênio assinado, em fevereiro, pela Universidade Regional de Blumenau (Furb) e a Prefeitura de Pomerode.

a6eb2e88b1d356f361760ed71dd1578a.jpg Foto: Reprodução

A equipe responsável pelo projeto “Cidade, Rio e Vitalidade: diretrizes para a estruturação de parques do município de Pomerode” finalizou a primeira parte de proposta urbanística para o Parque Ambiental da Lagoa do Weege. A idealização é fruto de convênio assinado, em fevereiro, pela Universidade Regional de Blumenau (Furb) e a Prefeitura de Pomerode.

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
https://jornaldepomerode.com.br/novo/midia/banners/banner_808x164/ffd61332a4e29290e4edbdc12b3cf4f1.png https://jornaldepomerode.com.br/novo/midia/banners/banner_808x164/2edbf97c4ed2488011199c38854cd348.jpg https://jornaldepomerode.com.br/novo/midia/banners/banner_808x164/d71818c47d981bb85097e8de3648507e.jpg

 

O primeiro de três projetos urbanísticos foi entregue no primeiro semestre de 2020. Carla Back, arquiteta e coordenadora dos trabalhos, explica que a proposta é desenvolver estudos e definir diretrizes sobre os locais onde serão implantados os parques. O caminho seguirá por um planejamento urbanístico e edital de concessão para busca de empresários interessados na implantação, por meio de parceria público-privada.

O Núcleo de Estudos Urbanos Regionais (Neur), da Universidade, estuda a parte orçamentária, para fazer uma estimativa do custo desse projeto e, a partir do valor, lançar o edital junto à prefeitura de Pomerode.

A proposta urbanística do Parque Ambiental da Lagoa do Weege parte de cinco temas ligados à preservação ambiental e patrimonial, entre eles, interação social, educação, recreação ativa e passiva, acessibilidade e conexão, e ambiente natural e paisagem.

O primeiro deles é a interação social, seja entre os próprios pomerodenses ou com os turistas, assim como, fortalecimento da relação de pertencimento cultural e com os espaços públicos.

 A Casa da Lagoa do Weege, em estilo arquitetônico enxaimel, será restaurada e, junto com a lagoa, ganhará destaque no parque. Ela ficará em primeiro plano em relação às outras construções, podendo ser observada de diversos lugares, sendo a edificação com a melhor vista para a lagoa.

Além disso, está prevista a construção de um complexo comercial, um restaurante, um anfiteatro e um hotel, todos eles arquitetados de acordo com um dos temas estruturais vinculado à preservação do meio ambiente e da paisagem. O parque e o hotel usarão energia gerada por uma usina na barragem e por placas fotovoltaicas; terraços das construções se integrarão ao verde da natureza ao redor.

A questão da educação também é um dos pilares do projeto. O parque foi pensado para criar experiências de aprendizagem, integradas ao meio ambiente, estimulando trocas de conhecimento. Há, ainda, a recreação ativa e passiva, visando a um ambiente de entretenimento, com acessibilidade para todas as pessoas e uma conexão com outros espaços públicos da cidade. Para tanto, estão previstos no projeto atividades como arvorismo, pedalinho, playground natural, trilhas ecológicas com observação da natureza e identificação de espécies da flora local, além de uma trilha sensorial e balsa de travessia da lagoa.

Ao redor de toda a Lagoa do Weege haverá, também, um deque sobre a água para passeio, com passarela de travessia, mirantes e passagem pela barragem existente, que será restaurada. Os arquitetos e especialistas envolvidos no projeto do Parque Ambiental da Lagoa do Weege tomaram o cuidado para que as edificações e atividades, conforme a coordenadora Carla Back explica, tivessem “o mínimo de impacto negativo, o mínimo de interferência”. Ela acrescenta, ainda, que toda a ocupação teve a preocupação em garantir a preservação ambiental e valorizar o patrimônio histórico e ambiental, usando áreas para construção onde a cobertura vegetal já tinha sido alterada no passado.

Além da barragem, que segundo apontamentos históricos, era utilizada com roda d’água para a geração de energia, a Casa Weege é um dos patrimônios históricos que os pomerodenses querem preservar e evidenciar perante os turistas. A casa foi construída na década de 1890, em estilo enxaimel e faz parte de um conjunto dessas casas na localidade de Pomerode Fundos, que fica distante, aproximadamente, cinco quilômetros do centro da cidade, na Rua Fundos Klaus.

Fonte: Furb

 



Tags: