Terca-Feira, 19 de Outubro de 2021

facebook_icon

Hoje: Máx 30Cº / Min 19°C

Siga a gente -

Jornal de Pomerode

Edição Impressa

icon_user

Dois casos simultâneos de Lei Maria da Penha são registrados em Indaial

A Polícia foi acionada com um intervalo de poucos minutos, nos dois casos

4712a0feb238a85d2c5b7462b08217ce.jpg Foto: Tatiane Hansen / Jornal de Pomerode

A quarta-feira, 22 de setembro, teve dois registros de ocorrências relacionadas à Lei Maria da Penha, em Indaial. Os dois casos ocorreram em um intervalo de poucos minutos.

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
https://jornaldepomerode.com.br/novo/midia/banners/banner_808x164/1c7731845aff525f30b91045a8aa2e55.jpg

 

A primeira delas, em que houve descumprimento de medida protetiva de urgência, com ameaça, ocorreu por volta das 10h10min, no bairro Carijós. Neste caso, a Polícia Militar foi acionada para comparecer ao CRAS do município, já que a mulher foi até o local para pedir ajuda, pois estava sendo perseguida pelo ex-companheiro. 

No local, os policiais recolheram o relato de uma funcionária do CRAS, a qual relatou para a guarnição que faz o acompanhamento da vítima e que a mesma possui uma medida protetiva de urgência em desfavor de seu ex-marido. 

 

 

Na data do fato, a vítima, de 29 anos, se deslocou até o CRAS para pedir ajuda, alegando que estaria sendo ameaçada de morte, juntamente com suas filhas, além de estar sendo coagida a retirar a medida protetiva de urgência que há em desfavor do ex-companheiro, que se encontrava na recepção do CRAS esperando a mesma sair do local. 

Diante dos fatos, o autor, de 43 anos, recebeu voz de prisão pelos crimes de ameaça e descumprimento de medida protetiva de urgência no ambiente familiar, no âmbito da Lei Maria da Penha, sendo informado dos seus direitos e conduzido primeiramente ao IML em Blumenau e, após atendimento, conduzido à Delegacia de Polícia Civil de Indaial para a lavratura do flagrante. A vítima, também recebeu auxílio da guarnição da Rede Catarina, que se fez presente no local da ocorrência.


Ameaça familiar

Poucos minutos depois do acionamento da Polícia para a ocorrência acima, outra guarnição esteve no bairro Ribeirão das Pedras, para mais um caso de ameaça, no âmbito familiar e da Lei Maria da Penha. Este caso ocorreu por volta das 10h17min.

De acordo com as informações divulgadas pela PM, quando chegaram ao local, os policiais conversaram com duas mulheres, mãe e irmã do autor do fato, as quais relataram que estavam sendo ameaçadas por ele. Elas contaram à Polícia que ele dizia que iria atear fogo na casa e nelas, além de estar muito nervoso, quebrando móveis e queimando roupas.

Os policiais, então, entraram no quintal da propriedade, onde avistaram as coisas queimadas e o autor, que saiu de dentro de casa. Ele afirmou aos policiais que queimou as coisas dele e quebrar um móvel. Segundo as informações, ele fazia uso de medicamentos, pois possui esquizofrenia e transtorno bipolar, saindo fora de si, gerando pânico e muito medo nos familiares da casa, fazendo ameaças de morte quando as vítimas estão dormindo. As vítimas, de 52 e 29 anos, quiseram representar as ameaças que são proferidas diariamente, sendo acionado o Samu para prestar o atendimento e apoio à guarnição. O Samu fez o atendimento no local, realizou medicação e conduziu o autor para o Hospital Beatriz Ramos. 

A guarnição policial acompanhou o atendimento do Samu e aguardou o atendimento do autor no Hospital Beatriz Ramos. Após o atendimento hospitalar, o autor dos fatos foi conduzido para o IGP. 

Diante dos fatos foi realizada a prisão em flagrante por ameaçar sua mãe e sua irmã, enquadrado no âmbito doméstico familiar e encaminhado à Delegacia para os procedimentos cabíveis.