Sexta-Feira, 14 de Agosto de 2020

facebook_icon

Hoje: Máx 30Cº / Min 19°C

Siga a gente -

Jornal de Pomerode

Edição Impressa

icon_user

CPB oferece aulas virtuais a atletas paralímpicos

Os exercícios têm contribuído para que este público obtenha ganhos significativos durante o período da pandemia.

97f05d116497fb21ac941f2756904fa3.jpg Foto: Ale Cabral / CPB

O Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) está realizando o projeto “Movimente-se”, que oferece aulas gratuitas de atividades físicas voltadas, exclusivamente, a pessoas com deficiência. Os exercícios, que podem ser acompanhados pelo site www.movimentoparalimpico.com.br, têm contribuído para que este público obtenha ganhos significativos durante o período da pandemia.

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
https://jornaldepomerode.com.br/novo/midia/banners/banner_808x164/844d34f46b27043d5f0efe1b05cd10ee.jpg https://jornaldepomerode.com.br/novo/midia/banners/banner_808x164/9e2bb169f004a4f2d858e03c1e0721a4.jpg https://jornaldepomerode.com.br/novo/midia/banners/banner_808x164/d71818c47d981bb85097e8de3648507e.jpg

 

A atividade física, para pessoas com deficiência, já é utilizada no tratamento de muitas dores crônicas de lesões neurológicas, paralisia cerebral e lesão medular. Mas o esporte também pode oferecer avanços no aspecto social, como sociabilidade com outros grupos, e ganhos em fatores emocionais, como a autoconfiança e a autoestima, tornando os deficientes mais independentes no dia a dia.

Atua, ainda, na evolução das limitações das próprias deficiências em relação a movimento, equilíbrio, força, além de contribuir com o aumento da mobilidade e da redução da fadiga na locomoção e do risco de queda, por exemplo. Ajuda até na prevenção de deficiências secundárias.

“Cerca de 60% da população deficiente é sedentária, índice muito maior do que a média da população brasileira e mundial, que fica entre 45% e 50%. Isso acontece porque, em boa parte, as próprias pessoas com deficiência sentem-se incapazes de realizar os exercícios físicos e são mais resistentes à prática esportiva. Por isso, projetos como o ‘Movimente-se’ têm uma importância que vai além da melhora na qualidade de vida desta população”, alerta o médico-chefe do CPB, Hésojy Gley.

 

(Foto: Ale Cabral / CPB)

O programa tem como objetivo democratizar a prática de exercício físico para cadeirantes, paralisados cerebrais, amputados e deficientes visuais, que nunca praticaram atividade física ou que não possuem orientação profissional. Todo o conteúdo do “Movimente-se” é ministrado pelos técnicos do CPB e atletas paralímpicos, que demonstrarão como realizar exatamente os movimentos dos exercícios. Cada aula consiste em aquecimento, exercício principal e volta à calma (relaxamento).

 



Tags: