Sexta-Feira, 27 de Novembro de 2020

facebook_icon

Hoje: Máx 30Cº / Min 19°C

Siga a gente -

Jornal de Pomerode

Edição Impressa

icon_user

Casal é preso em flagrante, suspeito de adotar criança de forma ilegal

Criança, de dois meses de idade, estaria residindo em Rodeio, como se fosse filha dos acusados.

f18ab0b4b52041cee98d579dbaf4a878.jpg Foto: Divulgação / Polícia Civil

A Polícia Civil de Santa Catarina, através da Delegacia da Comarca de Ascurra, prendeu um casal, em flagrante, suspeito de cometer o crime previsto no Artigo 242 do Código Penal: dar parto alheio como próprio; registrar como seu o filho de outrem; ocultar recém-nascido ou substituí-lo, suprimindo ou alterando direito inerente ao estado civil. A diligência foi realizada nesta quinta-feira, 19 de novembro, por volta das 11h.

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
https://jornaldepomerode.com.br/novo/midia/banners/banner_808x164/b5f49e2fbb942fe9f8d9d8ca493f7476.jpg https://jornaldepomerode.com.br/novo/midia/banners/banner_808x164/c7e9cfc4eab1b889f91a27b1cc73d262.jpg https://jornaldepomerode.com.br/novo/midia/banners/banner_808x164/df6a593e901dc2117f843d0d51547b2b.jpg

 

Ao chegarem na residência, localizada na rua Leonardo Pretti, bairro Rodeio 12, em Rodeio, os policiais encontraram uma criança de, aproximadamente, dois meses de idade, que estaria residindo no local como se fosse filha do casal.

Durante as investigações, foi constatado que a menor, nascida em São Bento do Sul, seria filha de uma mulher que reside em Curitiba. Após o parto, a criança teria sido colocada à disposição do casal, que vinha acompanhando toda a gestação.

No imóvel, foram encontrados diversos elementos que comprovam a presença de um recém-nascido, como quadros, berço, brinquedos, roupas, objetos de higiene, lembrancinhas (de um possível chá de bebê). Ainda, foi possível demonstrar que foi feito um “book fotográfico” com a criança.

 

 

Com base nas informações obtidas, constatou-se que o casal estaria realizando a chamada “adoção à brasileira”, sem passar pela Justiça. As investigações continuam em andamento, para identificar se houve alguma espécie de pagamento pela criança, para a sua genitora biológica.

Os suspeitos foram encaminhados para a Delegacia de Polícia Civil de Ascurra e, agora, estão à disposição do Poder Judiciário. Já a menor está sob a responsabilidade do Conselho Tutelar de Rodeio.

Fonte: Delegacia Civil da Comarca de Ascurra



Tags: