Cultura

Linguiça Blumenau é considerada patrimônio cultural imaterial de SC pela Assembleia Legislativa

O diretor da Olho Embutidos e Defumados, Luiz Antonio Bergamo, durante a sessão itinerante da Assembleia Legislativa, que ocorreu nessa quarta-feira, em Blumenau, contou um pouco da história da Linguiça Blumenau

9 de maio de 2024

Foto: Divulgação

O deputado estadual Napoleão Bernardes, por meio do Projeto de Lei 0252/2023, conseguiu a aprovação da alteração da lei 17.565/2018, declarando a Linguiça Blumenau integrante do Patrimônio Cultural Imaterial do Estado de Santa Catarina.

A aprovação ocorreu nessa quarta-feira, durante sessão itinerante da Assembleia Legislativa, que ocorreu em Blumenau. Na oportunidade, o diretor da Olho Embutidos e Defumados, Luiz Antonio Bergamo, fez uma explanação sobre a história da Linguiça Blumenau.

De acordo com Bergamo, esse reconhecimento é muito importante, visto que somente 16 municípios catarinenses, em todo o Brasil, estão habilitados à produzir a Linguiça Blumenau, seguindo as características de um produto artesanal. Recentemente, o INPI (Instituto Nacional de Propriedade Industrial) deu o reconhecimento da Indicação Geográfica (IG) pra a produção de Linguiça Blumenau em apenas 16 municípios catarinenses, sendo um deles Pomerode.

Essa foi uma luta da Associação das Indústrias Produtoras  de Linguiça Blumenau (ALBLU), da qual a Olho faz parte. Somente empresas que sigam determinados critérios e estando nesses municípios poderão colocar no rótulo o nome Linguiça Blumenau. Com isso, o nome Linguiça Blumenau ganhou maior valor agregado e visibilidade.

“A linguiça Blumenau é um dos produtos mais característicos do Vale do Itajaí. É uma iguaria reconhecida em todo país, que representa perfeitamente a qualidade e o jeito de fazer que tanto destacam a nossa região. E 2024 se torna um marco no processo de valorização da linguiça Blumenau, com a concessão da Indicação Geográfica e, agora, com a declaração como patrimônio cultural imaterial de Santa Catarina. É uma honra poder contribuir para a preservação da nossa história, cultura e tradição”, enfatiza o deputado estadual Napoleão Bernardes.

Em 2014, a Olho foi a primeira do seu segmento a obter o selo SISBI (Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal – do Ministério da Agricultura). Somente empresas que tenham esse selo podem vender seus produtos para outros estados.

A Olho em 2024 completou 90 anos de existência e, desde que foi inaugurada, no século passado, busca manter viva a tradição dos colonizadores germânicos, elaborando criteriosamente embutidos e defumados artesanais, aliando novas tecnologias aos nobres sabores das requintadas tradições, originando produtos de altíssima qualidade.

Notícias relacionadas