Esporte

Estratégia: o lado cerebral dos esportes

Um elemento fundamental para o sucesso em competições é a estratégia

1 de julho de 2024

Foto: Divulgação

Existe uma relação automática entre esporte e esforço físico, no entanto, nos altos níveis de competição, estar em forma é só parte do trabalho. Para além da habilidade ou aptidão física, existe o lado estratégico do jogo que é capaz de superar qualidades individuais e explorar os pontos fracos dos adversários.

A devoção que existe em torno das modalidades esportivas é amparada pelas diferentes perspectivas possíveis. Estão os apaixonados, que vivem o esporte pelas emoções, e também os entusiastas do lado tático, que apreciam cada jogada pelo aspecto cerebral. Essas duas correntes não se excluem e todos podem aproveitar a competição à sua maneira.

Um elemento fundamental para o sucesso em competições é a estratégia. Esse aspecto, muitas vezes subestimado, envolve planejamento, tomada de decisão e adaptação rápida às condições e ao comportamento do adversário. Em diferentes modalidades esportivas, a tática assume formas e importâncias diversas, mas é sempre crucial para a vitória.

A seguir, conheceremos o lado estratégico de modalidades populares e como o plano de jogo é o grande diferencial. Confira:

Futebol

O esporte que é paixão nacional, sem dúvida, é movido pelo sentimento dos torcedores, no entanto, a estratégia é essencial tanto para o ataque quanto para a defesa. Treinadores e equipes passam horas estudando os adversários, identificando suas fraquezas e desenvolvendo planos para executá-los. As formações táticas são escolhidas com base nas características dos jogadores disponíveis e no estilo de jogo do oponente.

Um dos treinadores mais celebrados pelo lado tático é Pep Guardiola. O catalão dirigiu um Barcelona histórico, depois um imbatível Bayern de Munique e, atualmente, está à frente do Manchester City. A principal estratégia do técnico é manter a posse de bola, para isso, Guardiola aposta por atletas habilidosos em todas as posições, essas que por vezes são uma mera formalidade nos esquemas criados pelo mister.

Basquete

Foto: Divulgação

No basquete, cada posse de bola exige uma estratégia e todos os jogadores devem estar atentos no lance. Técnicos e jogadores elaboram planos detalhados para o ataque e a defesa, levando em conta as características dos adversários e as habilidades individuais dos atletas. Estratégias ofensivas podem incluir jogadas ensaiadas, como o pick and roll, que visa criar oportunidades de arremesso ou infiltração, e a movimentação sem bola, para desestabilizar a defesa adversária e abrir espaços.

Outro aspecto das táticas no basquete foi visto no início dos anos 2000. Na época, Shaquille O’Neal era o pivô mais dominante da liga e estava vivendo o seu melhor momento no Los Angeles Lakers. Diferentes times tentaram parar O’Neal, porém sem sucesso. Foi o lendário Don Nelson, dos Dallas Mavericks, que criou o Hack-a-Shaq, algo como “Hackeando Shaq”. A estratégia era simples, fazer faltas pessoais e mandar o grandalhão para a linha de lance livre, grande defeito do seu jogo.

Poker

O tradicional jogo de cartas foi elencado ao patamar de esporte da mente pela IMSA (International Mind Sports Association), decretando assim que para vencer no poker são precisas diversas habilidades intelectuais, colocando a sorte para fora, e exaltando o lado mental e competitivo.

Uma das estratégias mais ousadas e complexas do poker é o blefe. Enganar o adversário é uma arte e uma poderosa ferramenta nos diferentes ambientes do jogo. Atualmente, o poker conquistou mercado no terreno online, as plataformas especializadas na modalidade recriam a experiência real no virtual e, ainda que não seja um duelo olho no olho, é fundamental também saber blefar para sair vitorioso em uma partida.

Xadrez

Desafio mental por excelência, o xadrez é um jogo que vive de estratégia. Cada movimento é calculado e a jogada que acontece é só a prévia de uma elaborada estratégia que tem um único objetivo: capturar o rei adversário. São diversas aberturas de jogo, fechamentos de partida e sacrifícios de peças para alcançar a vitória.

No xadrez, a estratégia é o pão de cada dia. Um jogador que deseja triunfar nos tabuleiros precisa ter um plano de jogo bem definido e ser capaz de adaptar a tática seguindo os desafios apresentados pelo rival. A jogada de abertura é uma carta de intenções e já coloca o rumo que cada competidor deseja seguir.

A beleza dos esportes reside nessa dualidade entre o racional e o emocional. O amor à camisa, a raça e a paixão são partes fundamentais do jogo, assim como o coração é para o corpo humano. Por outro lado, a estratégia, as táticas e a imprevisibilidade são igualmente importantes, assim como é o cérebro. Entender e aplicar estratégias é essencial.

Notícias relacionadas