Polícia

Empresa pomerodense é suspeita de aplicar golpes no ramo imobiliário

Após denúncias de vítimas, Polícia Civil de Pomerode instaura inquérito para investigar crime de estelionato, com suposta fraude em financiamento imobiliário

3 de agosto de 2022

Foto: Arquivo Jornal de Pomerode

A Polícia Civil de Pomerode está investigando uma empresa da cidade, suspeita de fraudar financiamentos imobiliários, se passando por representante da Caixa Econômica Federal.

continua após a publicidade

Segundo o delegado de Pomerode, Dr. Antonio Godoi, as vítimas procuraram a delegacia dizendo terem caído em um golpe envolvendo um assessoramento, por uma empresa, no financiamento de determinados imóveis. “A empresa se dizia credenciada da Caixa e, inclusive, em seu portfólio, utilizava a logo do banco junto à sua e vendia esse assessoramento às vítimas. Os responsáveis pediam um valor de entrada para conseguir dar continuidade aos trâmites burocráticos, a fim de que o imóvel fosse efetivamente negociado, mas esse financiamento nunca acontecia”, revela o delegado.

A suspeita do golpe, por parte das vítimas, aconteceu devido à ausência de documentos que comprovassem o financiamento e, consequentemente, a compra do imóvel desejado. “Com o passar do tempo e muitas cobranças depois, as vítimas procuraram a delegacia, porque a empresa não dava continuidade aos trâmites e inventavam diversas desculpas. Uma das partes chegou a procurar a Caixa Econômica para saber sobre o seu processo de financiamento e tomou conhecimento de que a empresa em questão não tinha nenhuma ligação e nem autorização para realizar qualquer tipo de serviço em nome do banco. Isso, com certeza, levantou uma suspeita muito grave”, completa o delegado.

continua após a publicidade

Dr. Godoi ainda ressalta que há grandes chances de haver mais vítimas deste golpe. “O que pudemos observar é que as vítimas pediam ressarcimento do valor pago à empresa, porém, mais uma vez, muitas desculpas eram ouvidas, além de não receberem o dinheiro de volta. Extraoficialmente, sabemos que existem mais pessoas lesadas, mas ainda não se dirigiram à delegacia na esperança de receberem o dinheiro de volta. No entanto, reforço que se trata de uma investigação de estelionato e as vítimas precisam realizar o boletim de ocorrência. Cada caso será investigado de forma individual e não descartamos que outros crimes possam ter sido cometidos por parte desta empresa”, explica.

A empresa tem como sede a cidade de Pomerode e os sócios residem no município. Os prejuízos, segundo as investigações, ultrapassam o valor de R$ 10 mil reais por vítima, podendo, em alguns casos, ultrapassar os R$ 100 mil. “Também temos que ressaltar o fato de que as vítimas anteciparam o dinheiro que guardaram por anos para realizar o sonho da casa própria. É um crime grave que está sendo investigado e vamos apurar todos os fatos, para dar andamento aos processos junto ao Judiciário”, conclui o delegado.

Depoimentos das vítimas

A investigação envolve mais de um caso e, em contato com duas das vítimas, ambas descreveram o mesmo modo de atuação por parte da empresa acusada de estelionato. Para preservar as vítimas, o Jornal de Pomerode não irá identificá-las.

Uma delas informou que, por conhecer a família que é proprietária do negócio, decidiu realizar o financiamento com a empresa. “Depois do primeiro contato, a promessa era de aprovação de crédito e parcelas mais baixas. No entanto, para dar continuidade a essa proposta, precisavam de um valor de entrada o quanto antes. E foi o que eu fiz, paguei a eles e fiquei aguardando os próximos passos, que nunca aconteceram”.

Outra vítima revelou, ainda, que os cancelamentos de reunião diretamente com a Caixa Econômica erma uma das justificativas do atraso da negociação. “Essa era uma das desculpas, pandemia e reuniões adiadas na agência bancária. Inclusive, com contato via WhatsApp, com números diferentes e outro DDD para justificar esses cancelamentos. Como ficou muito suspeito, procurei a Caixa pessoalmente e minha surpresa foi de que não havia nenhum processo de pedido de financiamento em meu nome e que a empresa tampouco tinha autorização para negociar em nome do banco”.

As vítimas relatam que quando a empresa era cobrada, uma promessa de ressarcimento do valor já pago era efetuada. “E as promessas continuavam, mas o dinheiro nunca entrou na conta, nunca voltou para nós. A empresa alegava que a própria Caixa precisava autorizar essa devolução e, por isso, a demora. O sonho da casa própria se tornou um pesadelo”.

Parecer da Caixa Econômica Federal

A Caixa Econômica Federal esclarece que, em Pomerode, possui apenas um correspondente bancário ativo, sendo o escritório da empresa Doce Lar, que está localizado no centro de Pomerode, sendo ela a única autorizada a efetuar financiamentos pelo banco.

As lotéricas também podem realizar o procedimento, porém, em nossa cidade, não efetuam este serviço.

 

Denúncia

Em caso de suspeita de ter sido vítima de estelionato, por parte de alguma empresa que não seja a única credenciada à Caixa Econômica Federal em Pomerode, a orientação é de que se dirija à Delegacia de Pomerode, para realizar um Boletim de Ocorrência, a fim de investigar o caso.

O atendimento ao público acontece de segunda a sexta-feira, das 12h às 18h.

Notícias relacionadas

Mais Lidas

Publicidade