Esporte

Criando memórias, por meio do esporte

Pai e filha participam, juntos, de Corrida de Aventura, na cidade de Gaspar.

5 de junho de 2022

Foto: Divulgação

Compartilhar momentos inesquecíveis, ao lado de quem se ama, é algo que deve ser valorizado. Dentro deste contexto, o pomerodense Eduard Claus Morsch, de 39 anos, participou da 4ª Etapa do Campeonato Catarinense de Corrida de Aventura, realizada em Gaspar, ao lado de alguém especial, para sua vida.

continua após a publicidade

Depois de encarar a prova principal, no sábado, o auditor resolveu se “aventurar” em companhia da sua filha, Maria Eduarda Mertten Morsch, de sete anos. “No domingo, a organização promoveu a categoria ‘Pais e Filhos’, então, como já participamos nós três de outros eventos, resolvi ter mais este momento. Só que desta vez, somente eu e ela”, destaca.

A prova teve 7,5 km de bicicleta, 1,5 km de trekking e 1 km de caiaque, totalizando 10km. “Ela sempre me acompanha, principalmente no pedal, esporte que gosta bastante, desde pequena. Inclusive, a Duda chega a me cobrar quando ficamos algum tempinho sem fazer nossos passeios. Eu e minha esposa Denise sempre incentivamos o esporte na vida dela, o que faz com que sempre esteja envolvida com alguma atividade, como natação, judô, tênis de quadra ou balé”, frisa Morsch.

continua após a publicidade

O atleta conta que, durante a prova, teve alguns momentos mais “tensos”, mas que acabaram se transformando numa grande diversão.

“O bote foi uma experiência nova para ela, pois nunca tinha andado comigo num grande rio, como o Itajaí-Açu. Já no trekking, indo para parte do caiaque, ela comentou que ‘estava com um mal pressentimento’, então falei que era para ela ficar tranquila, que eu iria cuidar pra que nada de ruim acontecesse. Só que a entrada no rio foi um pouco tensa. Por conta das enchentes, há cerca de um mês, havia muita lama na beira do rio, onde acabei atolando na lama até acima dos joelhos, para puxá-la, com o bote, até o rio. Todo esse cenário, mais o ‘pressentimento’, a deixou com um pouco de medo. No entanto, com bastante calma, iniciamos o remo e, aos poucos, ela foi se soltando. Tanto que esta acabou sendo a parte mais divertida da prova, segundo ela. Já o resto, ela tirou ‘de letra’”, ressalta o pai.

 

Foto: Divulgação

 

A paixão pelas Corridas de Aventura, para Morsch, iniciou em 2016. “O fato de, nas provas, não haver um caminho demarcado, sendo que para avançar é necessário interpretar com auxílio de uma bússola ou um mapa que é entregue momentos antes da largada, é a cereja de bolo desse esporte”. Diante disso, ele comenta o quanto é satisfatório poder vivenciar estes momentos, em família.

 

Foto: Arquivo pessoal

 

“Antes de conhecer a Corrida de Aventura, tive, através do futebol, essa conexão com meu pai, o que fez o esporte sempre fazer parte da minha vida, desde cedo. Com o casamento, ‘arrastei’ minha esposa, e agora, com a Duda, não está sendo diferente. Até hoje guardo lembranças de quando jogava futebol com meu pai, e quero que ela também tenha essas vivências. Tenho ainda certeza que o esporte, além da qualidade de vida, me ajudou no desenvolvimento de qualidades, como resiliência, competitividade, entre outras. Por isso, incentivo minha ‘pequena’, de forma a conseguir passar esses valores para ela”.

 

Foto: Divulgação

 

Eduard convida a todos a conhecerem mais do esporte, através do site da Federação Catarinense de Corrida de Aventura (FCCA): www.fccaventura.com.br. “Lá tem o calendário de provas do ano, inscrição para provas e demais informações”, finaliza.

 

Notícias relacionadas

Mais Lidas

Publicidade